Polícia Militar terá R$ 107 mi para ampliar bases comunitárias

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou hoje investimentos de R$ 107 milhões para a Polícia Militar. O dinheiro será destinado à compra de bases comunitárias móveis e motocicletas para a corporação.

Segundo o governador, há atualmente 265 bases comunitárias da PM e serão compradas outras 200, além de 721 motocicletas, 200 veículos para Ronda Escolar e 570 viaturas para o patrulhamento de rua. 

Tablets
Computadores de mão com tela sensível ao toque, os tablets, já estão sendo instalados nas viaturas. Por enquanto, quatro mil carros da PM contam com os equipamentos na capital e em cidades da região metropolitana.

Até o final do ano, a expectativa é que todas as 11 mil viaturas da PM em São Paulo tenham a nova tecnologia, que auxilia a consulta nos bancos de dados criminais, registros de boletins de ocorrências, anotações e relatórios, além de enviarem informações ao comando.

Protestos de policiais militares seguem no RS apesar de nova proposta do governo

Mais três protestos por reajuste salarial para os policiais militares foram registrados nesta terça-feira (13) no Rio Grande do Sul. Em Canoas, na rodovia BR-116, um boneco vestido de policial militar foi encontrado nesta manhã pendurado pelo pescoço na passarela da estação Niterói. As informações são do Correio do Povo.
Leia mais notícias no R7

Outra manifestação teve queima de pneus e foi registrada nesta madrugada no km 48 da ERS-239, em Parobé, no Vale do Paranhana. No local, manifestantes atearam fogo a pneus - entre seis e dez. O trânsito não chegou a ser prejudicado. Uma faixa foi colocada com os dizeres: "A família brigadiana não vive apenas de promessas e sim de certezas. Melhores salários já!"

Ainda na madrugada desta terça-feira, o Comando Rodoviário da Brigada Militar registrou um protesto com queima de pneus às 4h50, no km 8 da ERS-118, em Sapucaia do Sul.
A proposta do governo para a Brigada Militar, apresentada na segunda-feira (12), ofereceu um abono de R$ 300 para os servidores da Brigada Militar em duas parcelas – R$ 140 para outubro e R$ 160 para abril do ano que vem, além de 1.200 promoções. Para o presidente da Associação de Cabos e Soldados, Leonel Lucas, o valor é considerado satisfatório e resta avaliar o calendário das incorporações e as promoções – a categoria entende que 5.000 policiais devem ser promovidos. Ambos os temas serão tratados em uma nova reunião na quinta-feira (15).

Essa últimas manifestações foram antecedidas por outros três protestos, ocorridos entre sexta-feira (9) e a madrugada de sábado (10). O primeiro deles ocorreu em Porto Xavier, às 23h45 de sexta-feira , no km 715 da rodovia BR-392. A pista ficou totalmente bloqueada até a retirada dos pneus pela Brigada Militar, com o auxílio dos bombeiros.

A segunda manifestação ocorreu em Cruz Alta, no início da madrugada de sábado, no km 162 da ERS-342. Oito pneus queimaram por cerca de 20 minutos. No local, havia um boneco fardado pendurado em uma árvore e uma faixa com os dizeres "Governador, cumpra as promessas da campanha. Não seja traíra”.

O terceiro protesto aconteceu em Camaquã, às 3h30 sábado, no km 402 da BR-116. A pista foi bloqueada parcialmente com a barricada de pneus e faixas de reivindicações da Brigada Militar por melhores salários.
Porto Alegre
No início do mês, os protesto chegaram a Porto Alegre. Durante a madrugada do dia 1°, a avenida Mauá foi bloqueada com uma barreira de nove pneus queimados localizada próxima à rua Chaves Barcellos, no centro da capital.

Tempestade

O pessoal já faz uma tempestade num copo d’água, quanto mais numa caixa d’água.
Coronel Mário Solano, Comandante Geral da PMPA, a respeito do incidente na obra do 2o. BPM que vai sediar o evento "Casa Cor Pará".

Re-Pa na agenda

Paysandu perdeu em Rio Branco (1x2).
Remo venceu o Banespa, de Augusto Correia-PA por 4x0 e agora aguarda o Paysandu para amistosos pelo interior do Estado.

População ateia fogo em prédio do batalhão da Polícia Militar no Pará


Até o final da manhã, sete pessoas foram detidas apontadas por envolvimento no caso

São Sebastião da Boa vista, no Arquipélago do Marajó, viveu momentos de tensão na noite deste sábado (10).
Populares revoltados invadiram e queimaram o 9º Batalhão da Polícia Militar e ainda depredaram e saquearam a delegacia de polícia do município. Até o final da manhã, sete pessoas foram detidas e encaminhadas para Breves, apontadas por envolvimento no caso.
Segundo informações da Polícia Civil, a confusão teve início por volta de 23h, após um policial militar, identificado como Antonio Marcos Ferreira da Silva, ter prendido em flagrante um homem acusado de agredir fisicamente uma mulher em via pública, durante o Festival do Açaí, que acontece neste final de semana, no município. Um grupo de pessoas teria tentado impedir a ação dos policiais e durante a confusão, o militar sacou a arma e disparou atingindo uma das pessoas, que morreu.
O corpo da vítima já foi necropsiado e liberado para sepultamento. Em nota a PM informou que o policial envolvido foi encaminhado em caráter de prisão administrativa para a Corregedoria Geral da PM, em Belém, onde foi aberto o procedimento administrativo a fim de apurar as circunstâncias do fato.
Após o disparo e a confusão com os policiais, moradores se dirigiram até o prédio do Destacamento da PM, depredaram e atearam fogo no imóvel. Em seguida, o grupo chegou a Delegacia e saqueou móveis, computadores e danificou a estrutura do prédio. Policiais civis tentaram conter a invasão, mas recuaram em função do grande número de pessoas.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup), na confusão, os 16 presos foram libertados e duas motocicletas incendiadas. Dois PMs, capitão Nóbrega e cabo Elvis, acabaram feridos durante a destruição do destacamento e da Delegacia. Eles foram encaminhados para o hospital do município de Curralinho.
Policiais civis e militares de Breves foram acionados e deslocaram-se no início da madrugada de hoje (11) até o município para reforçar a segurança. Policiais do Grupo de Pronto-Emprego (GPE) e militares do Batalhão de Choque, de Belém, também já estão na cidade para dar continuidade às buscas aos envolvidos.

Amazônia Jornal

Dilma acha que PEC 300 já maturou demais, afirma parlamentar da PB

20110905122606_03.jpg

Proposta foi aprovada por unanimidade na Câmara e aguarda votação em segundo turnoO deputado federal Manoel Júnior (PMDB) declarou nesta segunda-feira (05) que se reuniu semana passada com o vice-presidente da República, Michel Temer, e um dos assuntos tratados no encontro foi à demora da votação, em segundo turno, da PEC 300.
O parlamentar disse a situação da Proposta de Emenda Constitucional já foi levada para a presidente Dilma Rousseff que já está ciente da lentidão do andamento da PEC. Com isso, o peemedebista espera que a partir a situação seja resolvida o mais rápido possível.
“A presidente disse que o projeto já maturou demais na Câmara e já está na hora de dar um desfeche ao assunto”, destacou o deputado.
A PEC 300, como ficou conhecida a Proposta de Emenda Constitucional, define o piso salarial nacional para os policiais e bombeiros brasileiros. A proposta foi aprovada, em primeiro turno, por unanimidade na Câmara Federal e aguarda a votação em segundo turno.
Na Paraíba, a PEC 300 foi aprovada por unanimidade pela Assembleia Legislativa em 2010, mas foi vetada pelo atual Governador Ricardo Coutinho (PSDB). Mislene Santos – MaisPB

11 de Setembro

Capitão da PM ensina como fazer policiamento comunitário

Uma matéria jornalística de uma emissora de TV, aborda uma situação de alto índice de criminalidade em Belém-PA. O capitão PM MORAES, em alguns segundos, dá uma aula de como fazer policiamento comunitário. A ZPOL (Zona de Policiamento) comandada pelo capitão PM ANDRÉ desenvolve ações setorizadas, face a um mapeamento que foi desenvolvido pelos próprios policiais e pelo setor de inteligência do Comando de Policiamento da Capital. Na matéria, o capitão Moraes ressalta a importância de outras políticas públicas de cultura, arte, esporte e lazer. Moraes alega que o jovem precisa estar ocupado com outras atividades para que não se envolva com a criminalidade.

Polícia comunitária é polícia inteligente

Para que um trabalho dê certo numa instituição é necessário que o gestor se envolva no processo.
Nenhum programa ou ação dá certo se não houver o engajamento de todos.
Fazer polícia comunitária, é trabalhar na prevenção.
Trabalhar na prevenção é fazer polícia inteligente.
Para isso, é preciso ter conhecimento, audácia e vontade de fazer acontecer.

Comandante geral da PM investe no Proerd

Parabéns ao coronel Francisco canindé Araújo, da Polícia Militar doRio Grande do Norte.
Através dele, o PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência) teve um salto de qualidade considerável.
A Polícia Militar do Rio Grande do Norte é referência em todo o país pelo dinamismo que seu comandante deu ao Proerd. Ele praticamente fica à frente das ações do programa, porque entende a importância de seu papel na prevenção às drogas.
O Proerd é daquelas ferramentas que consideramos de prevenção primária.
Quando se investe no Proerd, diminui-se a possibilidade de se muliplicarem os clientes do tráfico.

Proerd é uma tropa de elite

PROERD FORMA INSTRUTORES E CONFIRMA CONVÊNIO COM BANCO DO NORDESTE

O Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD) firmou uma nova parceria na sexta-feira (9). O Banco do Nordeste (BNB) e o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) assinaram importante convênio.

O convênio visa possibilitar a compra de instrumentos e equipamentos musicais que serão utilizados pelo Proerd, nos eventos que promove nos 42 municípios em que atua do Rio Grande do Norte.


O governo pretende levar o projeto a todos os 167 municípios do Estado, uma vez que o Proerd pretende formar cem novos policiais militares que participaram dos cursos dos currículos de Educação Infantil e Educação Fundamental I e II.

As aulas foram destinadas a PMs da Companhia Independente de Prevenção ao Uso de Drogas (Cipred) e voluntários de Batalhões e Companhias de Polícia, proporcionando o conhecimento, nivelamento e atualização das informações necessárias ao desenvolvimento das atividades junto à comunidade escolar na prevenção ao uso de drogas e a violência nas 800 instituições de ensino já beneficiadas.

Para o auditório lotado de autoridades civis, militares, policiais e convidados, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, disse:
“O Proerd é uma tropa de elite da corporação, que não usa armas, que vence e convence com o uso da palavra, que tem muita força”.
Coronel Araújo lembrou que em abril de 2010, eram apenas 60 PMs que integravam o Proerd e hoje esse número é de 266.

O secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, Aldair da Rocha, que representou a governadora Rosalba Ciarlini, disse que investir no Proerd é ter a certeza que o investimento está sendo feito da maneira correta, pois os resultados até agora obtidos comprovam a eficácia do Programa na prevenção às drogas.

A coordenadora do Proerd, tenente-coronel Margarida Brandão Fernandes de Araújo, ressaltou o apoio que o Governo do Estado tem dado ao Proerd e anunciou que, pela primeira vez, as cartilhas que serão usadas pelos instrutores, em salas de aula, foram compradas pela administração estadual. Cem mil cartilhas serão entregues ao Programa ainda este ano.

Durante o evento, apresentações de músicas religiosas, animação com o Palhaço Picolé que é o cabo PM Iran, que trabalha em Jardim do Seridó e é instrutor do Proerd, e a interpretação de uma história pela garota Talita, portadora de necessidades especiais visuais.

Tráfico pagava mensalão a 30 PMs de UPP

Rio - Uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no caderno do tráfico. Criada para colocar um ponto final no domínio do crime organizado nos morros do Catumbi, a UPP da Coroa, Fallet e Fogueteiro se rendeu ao dinheiro das drogas. Um grande esquema de corrupção foi descoberto na unidade, onde propinas fixas são pagas regularmente pelos traficantes a policiais. O mensalão da UPP abastece os agentes com quantias que variam de R$ 400 a R$ 2 mil e no mês totalizam mais de R$ 53 mil. 

Trinta homens da unidade são investigados por envolvimento na caixinha do tráfico. Eles foram monitorados durante um mês por policiais da Coordenadoria de Inteligência da PM. Terça-feira, três agentes foram presos pela Corregedoria — um sargento e dois soldados. Com eles, no carro, havia R$ 13,4 mil. O dinheiro estava em envelopes, que continham valores entre R$ 100 e R$ 500 e o nome dos policiais.

O valor das propinas era fixado de acordo com a patente e a importância do agente na estrutura do policiamento. Durante a apuração, os policiais do Setor de Inteligência descobriram que no dia de plantão dos investigados não havia repressão ao tráfico. Os bandidos agiam livremente e vendiam drogas nos principais becos das favelas da Coroa, Fallet e Fogueteiro. Mas sem ostentar armas.

A unidade pacificadora do Catumbi tem 206 policiais e a possível ligação com as propinas do tráfico atinge 14,5% do efetivo. O comandante e o subcomandante da UPP — capitão Elton Costa e tenente Medeiros — também são investigados sobre o ‘mensalão’, que teria o sargento detido terça-feira como operador do esquema. 

Seria ele a pessoa que aparece nas investigações negociando com traficantes a retirada dos PMs das áreas onde há venda de drogas nos morros e os valores da propinas. Inquérito Policial Militar, aberto no Comando da Polícia Pacificadora, será analisado esta semana pela juíza Ana Paula Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar, que decidirá se decreta a prisão dos PMs.
O Comando de Polícia Pacificadora, que participa da investigação, resolveu na quinta-feira intervir na UPP da Coroa, Fallet e Fogueteiro. Os 30 policiais investigados pela Corregedoria da PM foram afastados, conforme a publicação no Boletim da Polícia Militar, e destacados ao batalhão de origem. Todos são recrutas e foram selecionados no ano passado por unidades do Interior do Rio (Itaperuna, Macaé, Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis). 

Os policiais estavam lotados na UPP Coroa, Fallet e Fogueteiro desde a inauguração da unidade, no dia 25 de fevereiro deste ano. A ideia de selecionar homens novos na carreira policial e do Interior era justamente para impedir a contaminação dos agentes com esquemas de corrupção do tráfico de drogas. Eles serão substituídos, agora, pelos novos recrutas que estão sendo formados pelo Centro de Aperfeiçoamento de Praças (Cefap). 

O DIA
"Me emociono todas as manhãs ao  ver o céu azul me dar bom dia através das mangueiras da Praça do Carmo".
                       Dulce Rosa Rocque

Bom domingo a todos

Que o domingo seja de paz, reflexão e de descanso.

2012: Quem enfrentará Edmilson no segundo turno?

Zenaldo  dificilmente terá menos de 10% em qualquer eleição em Belém. A questão é: o governador disputará pra valer o governo da capital? caso Jatene entre de dois pés nas eleições de Belém poderá dividir o voto das periferias  com Edmilson e o candidato de Dudu.

Neste cenário Zenaldo poderia a vir polarizar até 20% do eleitorado. Em 2012 teremos, inicialmente, dois candidatos com potencial de 20%, seriam eles: Zenaldo e Jordy.  Creio que o adversário de Edmilson sairá dentre estes dois candidatos.  Caso Almir Gabriel venha a ser o candidato de Dudu, este disputará em igualdade de condições, com Jordy e Zenaldo, a passagem ao segundo turno. O PT tem, neste momento, de acordo com pesquisas informais, baixa capacidade de competitividade em Belém.

http://bilhetim.blogspot.com

Dito por aí

"Os pais que levam o filho à igreja, não vão buscá-lo
na cadeia." 
                                                             (Autoria desconhecida)

Dia 11 de outubro: 150 mil acessos

Dia 11 de outubro deste ano, certamente chegaremos aos 150 mil acessos.
Esta é a meta.

RUMO AOS 150 MIL ACESSOS

Caro leitor.
Chegamos aos 140 mil acessos.
Mas, eu gostaria de chegar aos 150 mil acessos no mais curto espaço de tempo.
Portanto, solicito que coloque nosso blog SAIBA DAS COISAS
 na página inicial de seu navegar.
se puder fazer isso, desde já lhe sou muito grato.
Grande abraço.
Saudações comunitárias!
Capitão Prata, comandante da Zona de Policiamento de Outeiro foi muito elogiado em recente reunião da comunidade com este coordenador estadual de Polícia Comunitária

Leão joga bem e goleia o Banespa

Depois de 104 dias sem um jogo oficial, os jogadores do Clube do Remo mostraram que estavam com saudades da bola e já aos 24 minutos do primeiro tempo, venciam  o Banespa de Augusto Corrêa pelo placar de 3 a 0.
Jaime tratou de abrir o placar aos 14 minutos do primeiro tempo, depois de receber um passe de Alex Ruan .O atacante azulino esperou o goleiro Pintado sair do gol e tocou com categoria para abrir o placar.
Os remistas não tiveram nem tempo de comemorar o primeiro gol. Logo em seguida a rede do Banespa voltou a balançar.
Tardelly cobrou escanteio pela direita à bola já parecia perdida, mas Alan Petterson completou de pé direito, era o segundo gol do Leão.
Apesar da desvantagem no placar a equipe do Banespa era valente, dentro de campo. O Leão voltou a balançar as redes aos 24 minutos.
Em cobrança de falta ensaiada, o capitão Diego Barros soltou a bomba e decretou a vitória parcial do Clube do Remo, no primeiro tempo
Segundo Tempo
O Banespa voltou mais aceso para a segunda a etapa,mas era o Remo quem criava mais oportunidades de ampliar o placar.
Com o resultado definido, o técnico Sinomar Naves resolveu fazer mudanças no time para observar o restante do elenco e em uma dessas mudanças, o atacante Zé Inácio marcou o quarto tento do Leão.
Aos 30 minutos do segundo tempo, o atacante recebeu passe de Reis e deu números finais ao jogo:Banespa 0 x 4 Remo
FICHA TÉCNICA:
Remo: Diego Amaral(Lino), Gleison(Vando), Joãozinho, Diego Barros, Alex Ruan; Alan Petterson(Gabriel), Betinho(Irlan), Jhonnatan(Nadson), Tardelly(Paulo André); Jaime(Zé Inácio) e Reis.
Banespa: Pintado(Petico);Elizar,Tonico,Wilksson e Dino(Torino);Romildo(Tchaca),Tico,Ballack e Variado(Tiquinho);Joca(Alan) e César Traquateua.
Arbitragem: Kleber Ribas de Almeida
Auxiliares:Elber Pinheiro e Carlos Roberto Santiago
Gols:
Remo 1 x 0: Jaime 14' 1º
Remo 2 x 0: Alan Peterson 17' 1º
Remo 3 x 0: Diego Barros 24' 1º
Remo 4 x 0: Zé Inácio 30' 2º
(Sandro Galtran/DOL)

Notícias do Remo pelo Twitter

Remo 100%
Amanhã teremos a presença do vice-presidente de futebol do Leão, Hamilton Gualberto, no programa Bola na Torre, da TV RBA, as 22h.

Remo 100%
Prefeito remista de Augusto Correa comemorando resultado elástico contra selecionado de seu município e declarando que o Leão deixa saudades.
 
 

Suspeito é baleado pela PM após saidinha de banco em Contagem

Uma saidinha de banco terminou com um bandido ferido na tarde da última quinta-feira, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

Após abordarem uma vítima que havia sacado cerca de R$ 6 mil de um banco, dois homens foram flagrados pela Polícia Militar. Houve troca de tiros e um deles acabou baleado. O outro suspeito fugiu para um matagal e ainda é procurado.

A ação dos bandidos começou no Bairro Ressaca. Eles esperaram a vítima sair de uma agência do Banco Itaú, localizada na Rua Rodrigues da Cunha e a seguiram, em uma moto, até o Bairro Santo André . No local, a dupla rendeu o homem, ainda não identificado, e roubou o dinheiro. Militares que faziam o rastreamento na região em motos, flagraram os suspeitos e fizeram a abordagem. Um dos homens reagiu e houve troca de tiros.

Um dos bandidos acabou baleado. Ele se feriu com dois tiros e foi socorrido pelos militares e encaminhado para a policlínica do Bairro Ressaca. Com ele foi encontrado um revólver calibre 38 com seis munições intactas. O outro suspeito fugiu a pé e entrou em um matagal às margens da BR-040. Equipes estão no local para tentar localizá-lo. Um helicóptero e uma equipe do canil, ajudam nas buscas.

Na troca de tiros, nenhum militar se feriu, apenas uma das motos da PM foi atingida.
...............................
Nota do blog SAIBA DAS COISAS:
Sugiro que dêem uma olhada na experiência do Banpará, que é modelo para o Brasil.
Vejam o vídeo, clicando no link abaixo:
http://www.youtube.com/watch?v=1zEFyAtZqnc

Twitter

O Twitter ainda vai ser uma grande ferramenta para os órgãos de Segurança Pública.
Sugiro que faça o seu (www.twitter.com) e siga @rededeseguranca .

PM cria equipe de monitoramento de grupos e redes sociais para diminuir crimes de intolerância

A Polícia Militar de São Paulo criou uma equipe de monitoramento de grupos e redes sociais para evitar crimes de intolerância. De acordo com a PM, o objetivo é antecipar às ações violentas e hostis que possam comprometer a ordem pública.
Leia mais notícias do R7

Além disso, a polícia informa que houve reforço do policiamento em locais com histórico de problemas e outros potencialmente de risco.

No último fim de semana, o punk Johni Raoni Falcão Galanciak foi morto por skinheads durante uma briga envolvendo cerca de 70 pessoas de gangues rivais no último sábado, em Pinheiros, na zona oeste da capital paulista.

Os donos do Carioca Club, onde os envolvidos estavam reunidos, afirmaram que pediram à Polícia Militar reforço para evitar o conflito, depois de acompanhar em redes sociais as ameaças de uma briga entre grupos rivais.

A Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância) identificou a participação dos grupos de skinheads Front 88, Terror Holligan e Resistência Nacionalista e investiga a participação deles na morte de Galanciak.

http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/pm-cria-equipe-de-monitoramento-de-grupos-e-redes-sociais-para-diminuir-crimes-de-intolerancia-20110908.html

USP firma convênio para ter policiamento comunitário da PM

 Secretário da Segurança do Estado de São Paulo irá anunciar instalação de duas bases móveis de policiamento comunitário e efetivo de 20 policiais no campus

O Secretário Estadual de Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, assinou ontem, sexta, acordo com a reitoria da USP para reforçar a segurança na Cidade Universitária, no Butantã.

Na cerimônia de assinatura do convênio, que terá duração de cinco anos, Ferreira Pinto deve anunciar a instalação de duas bases móveis da PM (Polícia Militar) no campus. A vigilância será feita por um efetivo de 15 a 20 policiais.

Eles deverão acompanhar a movimentação de alunos, professores, funcionários e demais frequentadores que passam todos os dias pelos cerca de 8 milhões de metros quadrados da Cidade Universitária. Hoje, os policiais podem circular pela USP, mas não é permitida a presença fixa da PM no local. A segurança é feita pela Guarda Universitária, que não tem autorização para portar armas de fogo. Parte das medidas que serão adotadas no convênio foram publicadas no “Diário Oficial”, em agosto.

O aumento do policiamento dentro da USP sempre foi visto como uma interferência sobre a autonomia da universidade. Alunos e docentes sempre foram contrários a presença da PM sob a justificativa de que os policiais não são preparados para lidar com o dia a dia do campus, principalmente em relação às constantes manifestações contra a reitoria.

Mas essa posição teve de ser revista após o assassinato do estudante Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, no dia 18 de maio. Aluno do curso de ciências atuariais da FEA, ele foi baleado no estacionamento da faculdade.



http://www.band.com.br/

PMPA é destaque na Globo

No Globo Notícia (flash de notícias que a Rede Globo passa para todo o Brasil), às 17h50 desta quarta, Fátima Bernardes destacou o desfile da Polícia Militar do Pará, com a apresentação do detector de explosivos e a demonstraçao de cães adestrados em plena avenida Presidente Vargas.
Filma nóis!!!

Independência ou Morte!

A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes. Foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.
Dia do Fico
Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta das cortes de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nesta idéia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou : "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico."
O processo de independência
Após o Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas que desagradaram a metrópole, pois preparavam caminho para a independência do Brasil. D. Pedro convocou uma Assembléia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria colocada em vigor sem o " cumpra-se ", ou seja, sem a sua aprovação. Além disso, o futuro imperador do Brasil, conclamava o povo a lutar pela independência.
O príncipe fez uma rápida viagem à Minas Gerais e a São Paulo para acalmar setores da sociedade que estavam preocupados com os últimos acontecimento, pois acreditavam que tudo isto poderia ocasionar uma desestabilização social. Durante a viagem, D. Pedro recebeu uma nova carta de Portugal que anulava a Assembléia Constituinte e exigia a volta imediata dele para a metrópole.
Estas notícias chegaram as mãos de D. Pedro quando este estava em viagem de Santos para São Paulo. Próximo ao riacho do Ipiranga, levantou a espada e gritou : " Independência ou Morte !". Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a Independência do Brasil. No mês de dezembro de 1822, D. Pedro foi declarado imperador do Brasil.
Bandeira do Brasil Império. Primeira bandeira brasileira após a Independência.

Fonte: http://www.suapesquisa.com/independencia/

Google homenageia Independência do Brasil

Os usuários do Google em todo o mundo podem ver nesta quarta-feira a homenagem ao dia da Independência do Brasil com um “doodle”, logotipos de homenagens da empresa.
No dia 7 de setembro de 1822 durante a sua volta de Santos, o Príncipe-regente D. Pedro de Alcântara fez o histórico “Grito do Ipiranga”, proclamando as margens do riacho Ipiranga (atual cidade de São Paulo) a seguinte frase: “Independência ou Morte!”
A data brasileira representou o rompimento dos laços de união política com Portugal. No dia 12 de outubro o Príncipe foi aclamado Imperador com o título de D. Pedro I, tendo a sua coroação no dia 1 de dezembro do mesmo ano.
A História dos "doodles"
Os "doodles" consistem em mudanças no visual do logotipo do Google para celebrar feriados, aniversários e as vidas de cientistas e artistas famosos. Seja o primeiro dia da primavera, o aniversário de Albert Einstein ou os cinquenta anos da descoberta do DNA, a equipe do "doodle" sempre encontra um jeito de celebrar esses eventos únicos com arte.

http://www.diarioonline.com.br/noticias-interna.php?nIdNoticia=165464

População aplaude de pé o policiamento comunitário


São João da Paraúna/GO - Aconteceu a terceira Reunião Comunitária na cidade de São João da Paraúna, desta vez no CRAS (centro de referencia de assistência social), com a participação de 38 pessoas, onde o Subtenente Paulo Gomes, Comandante do 3º Pelotão, acompanhado do Soldado Fernandes e Soldado Ramos, cumpriram com as diretrizes e orientações do comando do 25º BPM, onde as forças vivas atuantes foram congregadas, criando parcerias em prol da segurança pública no município, que o cidadão é um divulgador de cultura de segurança, aproximando o cidadão e a Polícia Militar, fornecendo dados para que o Comandante da área possa planejar melhor as ações policiais militares.

Na seqüência o Subtenente divulgou as ocorrências registradas durante o mês de agosto, onde as ocorrências proativas sobre saiu sobre as reativas, causando uma maior sensação de segurança a comunidade local.

No final da reunião a Polícia Militar foi aplaudida de pé pelos participantes, que aprovou o Policiamento Comunitário na região. 

FONTE: 3º Pel/3ª CDPM/25º BPM     
 

Salve 7 de Setembro

E viva a nossa Nação.
Salve a nossa Independência!
E viva o Brasil!

Círio de Nazaré leva 6 mil às ruas no Rio de Janeiro

O cortejo do Círio de Nazaré reuniu ontem (4) cerca de 6 mil pessoas na Praia de Copacabana, segundo estimativas da Guarda Municipal. Foi a segunda vez que a procissão, uma tradição de Belém do Pará, tomou a Avenida Atlântica.
Na orla, mil pessoas levaram a corda de 100 metros que cercava o carro com a imagem  peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira do estado do Pará.
Segundo a paraense Karla Oliveira, de 42 anos, que seguiu a procissão descalça, foi uma oportunidade de matar a saudade do cortejo em Belém. "Decidi vir segurando a corda e, por isso, estou sem sapatos. Queria reviver um pouco o círio de verdade, em Belém. Sou de lá e já faz sete anos que não consigo ir", contou a auxiliar administrativa, que seguiu toda a procissão entre o Posto 6 e a Rua República do Peru.

A imagem de Nossa Senhora também foi saudada por dezenas de jovens, entusiasmados com a Jornada Mundial de Juventude, que será realizada na capital fluminense, em 2013.
Com faixas alusivas ao evento, eles acompanharam a peregrinação  fazendo a divulgação do encontro católico. "É uma experiência de declaração de fé", disse Sara Araújo, de 17 anos.
O arcebispo da cidade do Rio, dom Orani João Tempesta, destacou que reunir jovens era um dos objetivos da celebração. "A Jornada da Juventude já começa a acontecer no Rio.  É o momento de chamar os jovens para para paz, a fraternidade e ajudar o mundo a ser mais justo", disse o arcebispo.
A manifestação religiosa terminou ontem, com missa seguida por um show da cantora Elba Ramalho, na Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, em Acari, zona norte da cidade. A imagem chegou ao Rio na sexta-feira (3) e percorreu paróquias durante o sábado e domingo.

Estamos bombando

Chegando aos 140 mil acessos.
Obrigado por nos ler constantemente.

Missão

Amanheci, hoje, subcomandante geral da PMPA.
Para ser mais preciso: respondendo pelo subcomando.
Tão lisonjeado, liguei ao meu pai.
Ele perguntou:
- Isso é bom ou ruim?


Jovens usam a internet para articular crimes e a PM para desvendá-los

Na vida real, alguns conhecidos; na virtual, centenas de amigos.

Campo Grande/MS - A associação de menores pela internet em Campo Grande vem chocando a opinião pública em razão de práticas criminosas adotadas como estilo de vida de alguns grupos de adolescentes.
Há algumas semanas, a Polícia Militar realizou, pela primeira vez, monitoramento em redes sociais de jovens da Capital e conseguiu identificar infratores que colaboraram com o arrastão promovido nas imediações de um shopping da cidade, localizado na Avenida Afonso Pena.
O grupo relacionava-se por rede social e marcou os assaltos por meio da ferramenta. Mais recentemente, uma mãe percebeu o comportamento estranho da filha, de 12 anos, e descobriu um clube do sexo que concentrava informações também em comunidade virtual chamada “Congresso do Bulimento”.
“Eles usam a internet de lá, e nós de cá”, resumiu o comandante da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, coronel Carlos Alberto David dos Santos. A ação de inteligência para rastrear os jovens que combinaram o arrastão no shopping será, a partir de agora, usada como mais uma ferramenta de ação da polícia. “Vamos colocar a internet como nossa aliada na repressão do crime. Não há como desprezar a tecnologia, principalmente quando o assunto é comportamento de adolescentes”, aponta.
As investigações a respeito do arrastão promovido no shopping correm em segredo. O centro de monitoramento da Polícia Militar de redes sociais também é ferramenta sigilosa. “Posso dizer que incorporamos esta prática a partir do episódio do arrastão e vem dado certo”, comenta o comandante.
Outra ação na internet, o clube do sexo, foi descoberto por uma mãe que passou a suspeitar do comportamento da filha que “queria transformar-se em mulher de uma hora para outra”, segundo relatou ao Correio do Estado. “Ela queria usar roupas sensuais”, pontuou sobre o comportamento da filha.
Intrigada, a mãe chegou ao clube em meio a uma sessão de orgia, onde inclusive estava a filha que perdeu a virgindade no local. Reuniu as informações e levou a polícia, que durante as investigações identificou a comunidade na internet. Fotos e frases que mencionam a atividade sexual e consumo de drogas estavam postadas no endereço virtual.

Primeira vez no judiciário
São bastante comuns em tribunais de júri, casos de maiores que aliciam menores para a prática do crime, ou mesmo fazem deles vítimas, principalmente, de exploração sexual na internet; no entanto, a associação de adolescentes para a ação criminosa é algo que vem preocupando até o judiciário.
“Muitas vezes as provas que atestam a violência são mensagens trocadas pelos computadores”, informa a juíza da Infância, Adolescência e do Idoso, Katy Braun, que também está respondendo pela vara de atos infracionais.
Mas, os primeiros casos de associação de menores para o crime, em Campo Grande, também estão chegando no judiciário neste ano. “Não há como escapar da tecnologia e os jovens descobriram essa ferramenta para a prática criminosa”, observa a juíza, que emenda. “Antes, víamos muitos casos de jovens que apareciam como vítimas de violência, pornografia; mas agora eles também são responsáveis por promover essas ações”, continua.
Os dois casos, tanto do arrastão promovido no shopping, quanto o clube do sexo, foram relatados pela polícia civil e já estão no judiciário.

Polícia Militar de SP usará colete à prova de bala por baixo do uniforme

Até o fim do ano, todos os policiais militares de São Paulo vão aparecer nas ruas com um visual diferente. Soldados, cabos, sargentos e oficiais vão utilizar os coletes à prova de bala sob a farda. A determinação partiu do comandante da corporação, Álvaro Camilo. Para ele, o policial com o colete exposto sugere uma imagem repressora da PM. A mudança pretende aproximar a população dos policiais, dentro da filosofia de polícia comunitária.
Segundo Camilo, o equipamento sob a roupa causará um impacto menos agressivo às pessoas que passam pela rua. Em junho, 2.500 recrutas formados pela Escola de Soldados de Pirituba, zona oeste, foram os primeiros a receber o equipamento. Na fase de estágio, eles foram para as ruas diariamente com os coletes dentro da camisa. Depois, foram compradas mais 15 mil peças que já fazem parte do dia a dia de outros policiais.
De acordo com corporação, cada colete custa R$ 350, em média. Nessa nova versão, eles são cinza claro. Agora, o tecido dos modelos comprados é mais mole, o que não causa tanto desconforto. O policial que quiser poderá usar o colete diretamente na pele, uma vez que, segundo a PM, é preparado com material antibacteriano. Mesmo assim, alguns policiais têm optado por colocar uma camiseta por baixo.
Quem for flagrado fugindo à nova regra será advertido pelo seu comandante. Cada oficial responsável por batalhões fará uma espécie de check-list antes de mandar o efetivo para a rua.
Carolina Ricardo, coordenadora de gestão local de segurança Pública do Instituto Sou da Paz, diz que a medida é válida, mas acredita que outras atitudes devem ser tomadas para aproximar a população dos PMs. "É importante a aparência física, mas sozinha não dá conta. É preciso aprimorar, fazendo a PM ajudar o cidadão nas ruas, conhecendo a região onde atua e sendo treinada para se comunicar." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Brigada Militar investirá em ações de policiamento comunitário

Zero Hora (4/9/2011) - Depois da troca de experiências com polícias militares de outros Estados durante o Seminário Nacional de Polícia Comunitária, na Capital, a Brigada Militar (BM) pretende aperfeiçoar sua forma de interagir com a população.

Para tanto, deverão ser desenvolvidos projetos voltados especificamente para o policiamento comunitário.

Por quatro dias, especialistas do Brasil, da Argentina e do Japão apresentaram experiências exitosas em policiamento comunitário, especialmente em São Paulo, Rio, Ceará, Minas Gerais e Pernambuco.

O teor das palestras foi condensado na Carta de Porto Alegre, que atesta:

“Consolida-se a polícia comunitária como filosofia e forma inovadora de conceber e pensar ações de segurança pública”.

As ideias apresentadas servirão para a composição de metodologias.

– Precisamos aprimorar o “como fazer”. Nós temos (algumas iniciativas), mas não foram implementadas como projetos. A polícia atua dentro de um planejamento de conceito tradicional – argumenta o comandante-geral da BM, coronel Sérgio Abreu, que palestrou no encerramento do evento sobre o papel da polícia no estado democrático.

Conforme o comandante da corporação, o aperfeiçoamento dos contatos com a comunidade depende da solução de questões como a obtenção da confiança da população.

Também é preciso um debate interno na BM, a fim de “reposicionar o seu foco”, ressalta o oficial.

Entre as experiências conferidas no seminário estiveram o viés do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) na segurança pública, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) do Rio de Janeiro e o Território da Paz de Canoas.

Matriz da Rede de Ensino da Senasp


A diretora do Departamento de Pesquisa, Análise de Informação e Desenvolvimento de Pessoal em Segurança Pública, Isabel Seixas de Figueiredo, falou sobre a Matriz da Rede de Ensino da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) em seminário nacional de Polícia Comunitária. 
Esse projeto integra o Departamento e os Estados, desenvolvendo programas como Ensino Presencial, Rede de Ensino à Distância (EAD) e Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública (RENAESP).
Isabel Seixas de Figueiredo também abordou o processo de formação para grandes eventos e a capacitação para a Copa do Mundo de Futebol de 2014, que são os maiores desafios enfrentados pela Rede do Senasp. Acrescentou que o Departamento desenvolve também um trabalho padrão para a realização de cursos em centros de formação especializados em assuntos específicos nos doze Estados que sediarão a Copa.
Durante a sua palestra, Isabel de Figueiredo tratou ainda de questões como profissionalização dos docentes da segurança pública, perspectivas para implantação do mestrado através do Senasp e o processo de avaliação do projeto de ensino, utilizado para a produção de um indicador que contribua para a rede e as instituições de segurança. O objetivo da Secretaria Nacional de Segurança é criar estratégias de metodologias que transformem o conhecimento em atitude.

http://www.ssp.rs.gov.br/portal/principal.php?action=imp_noticias&cod_noticia=17150
Texto: Sacha Rochele Nuñez
Foto:Osmar Nólibos/PM5
Edição: Redação Secom (51) 3210-4305

Proerd da Polícia Militar do Pará ensina crianças de Bragança a dizer não às drogas

O Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) chegou ao município de Bragança, nordeste do Pará. A solenidade de formatura de 1.183 crianças de 34 turmas de escolas municipais e estaduais foi realizada na manhã de segunda-feira, 29 de agosto, no ginásio Dom Eliseu Coroli.
A principal missão do programa é mostrar para as crianças os riscos que elas irão correr, caso tenham algum envolvimento com as drogas. O curso do Proerd tem duração de quatro meses.
O diferencial é que quem passa esses ensinamentos para os pequenos são os próprios policiais militares, que, uma vez por semana deixam as árduas tarefas das ruas e vão para dentro da sala de aula. “Nós ensinamos de uma maneira bem dinâmica, através de músicas, danças e arte o que as crianças devem fazer para se afastar das drogas. Ao final do curso, elas aprendem que é bem melhor prevenir agora do que corrigir os prejuízos trazidos pelo envolvimento com as drogas”, explicou o sargento Armando Araujo.

Programa de governo
As crianças participantes do programa escreveram redações contando o que aprenderam durante as aulas do Proerd. Os autores das melhores redações foram premiados com bicicletas. A estudante Daniele Araújo, 7 anos, foi uma das premiadas. “Durante o curso eu aprendi o verdadeiro significado da palavra droga e entendi o quanto ela causa sofrimento e destruição para quem usa. Tenho certeza que nunca vou me meter com isso e nunca vou deixar meus amigos entrarem nesse caminho”, contou a pequena.
Como não poderia faltar, durante uma cerimônia de formatura todos os estudantes fizeram um juramento, que foi lido pelo estudante Vitor Hugo, 8 anos. A cena foi encantadora. Um ginásio lotado com cerca de mil crianças, repetindo em alto e bom som o seguinte juramento. “Eu prometo cumprir com meus deveres de criança, honrar meus pais e professores. Prometo resistir e dizer não às drogas hoje e sempre”.

História
No Brasil, o Proerd iniciou em 1933, através da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Em 2003, o programa foi lançado no Pará tendo como municípios pioneiros Bracarena, Augusto Corrêa e Conceição do Araguaia. O programa é resultado de um esforço cooperativo entre a Polícia Militar, Escola e Família. No Pará, o Proerd tem o apoio do governo do estado e já formou cerca de 30 mil crianças na capital e em diversos municípios paraenses.
O coordenador estadual do Proerd é o coronel Costa Júnior e o coordenador operacional é o capitão Formigosa. O programa, atualmente, funciona sob a supervisão do Estado-Maior da Polícia Militar do Pará.

Portal do Governo do Pará

RS: após governo adiar negociação, PMs bloqueiam 6 rodovias

Manifestantes pedem aumento do salário da categoria, considerado o mais baixo do País. Foto: PRF/Divulgação
Manifestantes pedem aumento do salário da categoria, considerado o mais baixo do País
Foto: PRF/Divulgação















Um dia após o governo do Rio Grande do Sul anunciar que adiaria as negociações salariais com os policiais militares do Estado enquanto não cessassem os protestos da categoria, seis rodovias gaúchas foram bloqueadas na madrugada desta sexta-feira. Na maioria das barricadas feitas com pneus em chamas, faixas foram colocadas pedindo o reajuste do salário dos PMs gaúchos, considerado o mais baixo do País.
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), três rodovias federais foram bloqueadas. A primeira manifestação ocorreu na BR-386, em Sarandi, e provocou a interdição da rodovia nos dois sentidos. No local foram encontradas faixas com os dizeres "aumento da Brigada Militar ou greve já".
Às 4h15, policiais rodoviários impediram que a BR-101 fosse bloqueada na altura do km 85, em Osório. De acordo com a PRF, os manifestantes não conseguiram atear fogo nos pneus e fugiram antes da chegada das viaturas. Na BR-285, uma barricada bloqueou o trânsito na altura de Carazinho por cerca de 45 minutos, das 5h às 5h45.
Outras três rodovias foram bloqueadas no Estado. A primeira delas foi a RST-453, na altura do km 102, em Bento Gonçalves, por volta das 23h. Três horas depois, os manifestantes fizeram novo bloqueio na rodovia, desta vez no km 109, em Farroupilha. No local, policiais do Comando Rodoviário da PM encontrara uma faixa com a frase "Brigada Militar vai parar".
A ERS-239 foi bloqueada por volta das 5h40 na altura do km 39, em Parobé. "Não aceitamos migalhas, queremos o prometido", dizia um cartaz encontrado no local. Também houve bloqueio na Estada da Integração, que liga o bairro Lomba Grande ao centro de Novo Hamburgo, na região metropolitana de Porto Alegre. Ninguém foi detido.
Governo adia negociação
Na quinta-feira, o governo do Rio Grande do Sul decidiu não apresentar proposta de reajuste para os representantes dos servidores da Polícia Militar do Estado por causa da onda de protestos no Estado. Apesar de a categoria ter se comprometido a acabar com as manifestações, que incluem barricadas de pneus queimados, na manhã de ontem uma importante avenida do centro de Porto Alegre foi bloqueada pelos manifestantes.
Segundo a Casa Civil gaúcha, o governo tem uma proposta de reajuste na linha reivindicada pelos policiais, mas não apresentará a mesma até o fim dos bloqueios ou até que a autoria dos protestos seja revelada. A postura de negociação do governo já havia sido anunciada pelo chefe da Casa Civil gaúcha, Carlos Pestana.
Pestana recebeu nesta tarde a direção da Federação das Entidades Independentes dos Servidores Militares Estaduais de Nível Médio da Brigada Militar (FERPMBM). Na ocasião, segundo o governo, a entidade afirmou sua disposição de dialogar em busca de uma solução para o impasse gerado por conta das manifestações.
O Comandante-Geral da PM, coronel Sérgio Roberto de Abreu, considera que os protestos prejudicam os policiais por interferir no andamento das negociações para o atendimento das "legítimas reivindicações da sua corporação", informou a Casa Civil.

PMs PODEM INICIAR O MOVIMENTO “TOLERÂNCIA ZERO” A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA


Na tarde da última sexta-feira, 02, o deputado estadual Capitão Samuel (PSL), participou da Assembleia Geral dos Policiais e Bombeiros Militares, realizada no Instituto Histórico e geográfico de Sergipe.
O Presidente da Assomise – Associação dos Oficiais de Policiais e Bombeiros militares, Major Adriano Reis, deu início a Assembleia, alertando os militares sobre as providências que deveriam ser tomadas a partir dali.
O deputado estadual, capitão Samuel foi convidado para falar sobre os trabalhos na Assembléia Legislativa e sobre os rumos das reivindicações da categoria militar dentro do parlamento. Samuel Barreto disse que o que fosse deliberado na Assembleia pelos militares ele abraçaria. “Sempre foi assim e continuará sendo o que vocês deliberarem aqui eu abraço”, afirmou o deputado.
Samuel explanou principalmente sobre a ilegalidade dos batalhões e companhias da Polícia Militar e a falta de vagas para a promoção dos militares, afirmou também que a PGE – Procuradoria Geral do Estado o procurou após matéria publicada no Jornal da Cidade para explicar a legalidade do decreto do Governador, porém, o deputado contra argumentou os fatos. “Um coisa é fato se o decreto fosse legal e reconhecesse a verdadeira necessidade militares nas companhias e batalhões criados, na última segunda- feira (29), não teria sido promovidos 270 militares, mas 906, isso seria o certo”, destacou o deputado.
Governo
Segundo o deputado capitão Samuel, a frase colocada pelo governador Marcelo Déda na semana passada em uma emissora de rádio “Só falta eu colocar uma 45 nos quartos, entrar na viatura e sair fazendo segurança”, foi estrategicamente pensada, o deputado diz ainda que com essa frase o governados do Estado transfere os problemas da insegurança pública para a Polícia Militar e finalizou o seu discurso solicitando dos companheiros militares redobramento no trabalho ostensivo nas ruas.
Após ampla explanação, o deputado Capitão Samuel comunicou a tropa presente que se ausentaria por conta de um compromisso com o Capitão Augusto (PM), que sofreu um acidente há dois meses e que a família do militar solicitou com urgência a presença do deputado naquele momento.
Volta do “Tolerância Zero”
A Assembleia deu continuidade com os representantes da categoria, Sargentos Jorge Vieira, Edgard Menezes, presidente e vice-presidente da AMESE – Associação dos Militares de Sergipe, e com o Major Adriano Reis, presidente da ASOMISSE.
O major Adriano Reis da Assomise, disse que o prazo que o governo tinha para entregar a modernização das leis dos militares, esgotou na semana passada e que a falta de compromisso com a categoria fez com que os militares decidissem por novos protestos. “Não podemos acatar a decisão do sistema, os nossos colegas, sargentos Vieira e Edgard estão para ser expulsos da corporação, temos que mobilizar a sociedade, o nosso emprego é sagrado, ninguém pode mexer nele”, criticou o major Adriano Reis.
Após uma longa conversa com os militares os líderes de associações deliberaram várias pautas e reivindicações para a categoria que culminou na volta do movimento “Tolerância Zero” iniciado em 2009. “A medida foi tomada devido à falta de cumprimento do governo do estado, quanto às últimas negociações com a categoria nós aceitamos trabalhar em nossos horários de folga, sob a condição de que a Lei de Organização Básica (LOB) e a carga horária da categoria fossem definidas, mas até agora nada foi cumprido por parte do Governo”, afirmou Sargento Jorge Viera da Cruz, Presidente da AMESE.
 Outro ponto abordado foi a exigência de nível superior para ingresso nas corporações e fornecimento de tíquetes alimentação, (Etapa alimentação), ao invés das atuais quentinhas e prometeram uma vez por semana doar as quentinhas aos necessitados como forma de protesto, além de doar sangue como fizeram no movimento em 2009 e prometeram realizar um ato público em frente a Assembleia Legislativa, ou seja, um ato público com um bolo que simbolizará o atraso no aniversário das promoções dos PM’s.
 Assessoria Parlamentar (Chris Brota)

Referência

O Japão é um país que se tornou referência no policiamento comunitário.

Capitão da PM do Pará embarca para o Japão

O comandante da Companhia Independente de Polícia Militar de
Oriximiná, capitão Marcelo Ribeiro, embarcou na madrugada de hoje para
São Paulo. De lá, o ofcial vai para a cidade de Tóquio, onde passará
por treinamento na polícia japonesa.
Marcelo Ribeiro é um destacado multiplicador de polícia comunitária
que transformou o policiamento ostensivo no município de Oriximiná num
caso de sucesso.
A ida de Ribeiro ao Japão é um justo reconhecimento ao seu dinâmico e
efetivo trabalho que tem apoio expressivo da comunidade e das
autoridades locais.

PM comemora hoje 176 anos com solenidade

A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul completa no dia 5 de setembro 176 anos. A data será comemorada nesta sexta-feira (2/9) com solenidade militar, entrega de medalhas e baile de gala.
A partir das 10 horas, no Palácio Tiradentes, sede do Comando-Geral, o comandante-geral da PMMS, coronel Carlos Alberto David dos Santos, recebe autoridades e convidados para a formatura militar em celebração aos 176 anos da instituição. Na solenidade serão entregues 22 medalhas do Mérito Policial Militar e 73 da Insígnia do Mérito Policial Militar aos policiais militares, militares de outras forças e civis pelos serviços prestados à PMMS e em prol da segurança pública.
Ainda haverá desfile da tropa e de integrantes dos projetos sociais promovidos pela PMMS e a apresentação dos mascotes da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul. Um casal de policiais militares, criado no estilo Mangá e Toy Art, passa a representar a PM em solenidades, eventos e atividades. É mais um instrumento de aproximação PM/Comunidade.
http://www.correiodoestado.com.br/noticias/pm-comemora-hoje-176-anos-com-solenidade_123316/

Coordenador de Polícia Comunitária defende novo paradigma para a segurança

Foto: George Cereça
 
Coordenador de Polícia Comunitária defende novo paradigma para a segurança
Agostini afirmou que o atual modelo de segurança pública distancia o policiamento da comunidade
Foto: George Cereça
Agostini afirmou que o atual modelo de segurança pública distancia o policiamento da comunidade
A mudança de paradigma na segurança pública foi o tema abordado pelo coordenador estadual de Polícia Comunitária, coronel Jorge Luiz Agostini, durante o Seminário Nacional de Polícia Comunitária, no Hotel Embaixador, na tarde da última quarta-feira, 31. Agostini afirmou que o atual modelo de segurança pública distancia o policiamento da comunidade, fazendo com que não haja sintonia com os problemas locais. "O policial se considera autoridade e a população o vê como mais um servidor. O novo paradigma do policiamento comunitário aproxima o policial da população como um solucionador de conflitos, e as pessoas o veem como uma autoridade".

De acordo com Agostini, ainda há resquício de treinamento de guerra na formação dos policiais, mas isso já está mudando. "Tínhamos um modelo de ensino militar, voltado à defesa do Estado, com a formação em regime de internato, isolado da sociedade civil, e que incentivava à competitividade. Mas, com a mudança, temos uma formação mais voltada para a defesa do cidadão". Acrescentou que há necessidade de se investir no servidor para que ele esteja preparado para construir a mudança e a operacionalidade, com capacidade de desenvolver uma ação local, tendo como base uma visão mais global, pensando as relações entre o todo e as partes. "Queremos um policial humano, com sensibilidade, com razão e emoção, sabendo considerar o acaso, o aleatório, o inesperado, entre outros aspectos", ponderou.

O Seminário Nacional de Polícia Comunitária encerra-se hoje, com debates sobre conceitos e práticas de polícia comunitária, a partir da troca de experiências desenvolvidas em todo o País. Também está sendo construída a Carta de Porto Alegre, documento que apresentará as bases das discussões dos quatro dias do evento.  

http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=7&n=16853

PM do Pará participa de curso internacional de polícia comunitária


Três oficiais da Polícia Militar do Pará concluíram o curso Multiplicador Internacional de Polícia Comunitária. Em sua sétima edição, o treinamento, ministrado em São Paulo, pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), já foi feito por 280 policiais militares de todo o país. A cerimônia de formatura teve a participação de 40 oficiais de onze Estados e do Distrito Federal.

A delegação paraense foi composta pelos capitão Mário Sérgio Martins e os tenentes Henderson Rodrigues e Allan Sullivan Dias de Souza. O curso é baseado na filosofia de polícia comunitária japonesa, denominada Koban, que visa aproximar a polícia da comunidade, aumentando assim a segurança em uma determinada localidade.

O curso, ministrado na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB), em São Paulo, é uma parceria entre Senasp, Ministério da Justiça, Ministério das Relações Exteriores, Agência Internacional de Cooperação do Japão (Jica) e Polícia Militar de São Paulo.

O objetivo é capacitar agentes de segurança (oficiais, entre capitães e tenentes) para que eles possam difundir e replicar a filosofia de trabalho comunitário, principalmente nas regiões atendidas pelo Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), do Ministério da Justiça. Os participantes fizeram várias visitas às bases comunitárias de segurança do Estado de São Paulo.

Os Estados que desejam participar do curso se comprometem a criar coordenações de Polícia Comunitária nas estruturas das Secretarias Estaduais de Segurança ou da Polícia Militar, com o objetivo de implementar ou ampliar suas ações de prevenção primária da violência. “Com essa parceria houve grande aproximação dos policiais dos diversos Estados envolvidos, que trocam experiências”, destaca o coordenador nacional de Polícia Comunitária da Senasp, coronel Lemos Pita.

O Japão acumula experiência de 130 anos em policiamento comunitário. As atividades são colocadas em prática por meio de postos policiais menores (Kobans) e maiores (Chuzaisho). Existem no país 6,5 mil Kobans e 8,1 mil Chuzaishos, com 8,4 mil policiais japoneses. Eles representam 40% da força policial do país, atuando, principalmente, na prevenção.

Leno Carmo – Polícia Militar




Regina Miki

A secretária nacional de Segurança Pública ocupa a tribuna do Salão Diplomata, do Hotel Embaixador para falar na abertura do Seminário Nacional de Polícia Comunitária, em Porto Alegre-RS.

Tarso Genro fala amanhã

O governador do Rio Grande do Sul não participará da solenidade de abertura do SEMINÁRIO NACIONAL DE POLÍCIA COMUNITÁRIA, na noite desta terça. Genro marcou para a manhã desta quarta-feira a sua fala com as autoridades e todos os participantes, no centro de convenções do hotel Embaixador, em Porto Alegre.
O governador gaúcho é ex-ministro da Justiça, em cuja pasta marcou sua passagem pela criação do Pronasci - Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania.

O Estado da Arte

A secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, está sendo muito aguardada pelas autoridades que participam do Seminário Nacional de Segurança Pública.
Desde que assumiu a cadeira de titular da Senasp, é a primeira vez que Miki fala aos coordenadores estaduais de polícia comunitária e aos chefes de polícia que se encontram em Porto Alegre.
Por isso a expectativa no conteúdo de seu discurso.

Seminário Nacional

POLÍCIA COMUNITÁRIA
A Brigada Militar do Rio Grande do Sul é a grande anfitriã, na noite desta terça-feira, durante a abertura do Seminário Nacional de Polícia Comunitária.
Pensadores e estrategistas da área da Segurança Pública discorrerão em palestras que serão apresentadas por estes dias, em full time.
Estarão aqui os maiores nomes da área da segurança preventiva no Brasil, além de convidados de outros países.
Na solenidade de abertura desta noite, a secretária nacional de Segurança Pública Regina Miki estará presente.

Notícias de Belém

Em Porto Alegre, participando do Encontro de Coordenadores Estaduais de Polícia Comunitária, resolvi sintonizar na Rádio Clube do Pará para as notícias da minha cidade e do meu estado.
No "Última Edição", programa apresentado pelo conceituado radialista Carlos Estácio e eis as informações que recebo:
1. Sequestro relâmpago no bairro da Pedreira;
2. Cidadão estupra a sobrinha;
3. Entroncamento engarrafado;
4. Corpo carbonizado encontrado no Paar.

Oh, minha Belém. Quem vai te salvar desses males?
O que falta para nossa cidade e para nossa gente?
A culpa é de quem?
Do Poder Público?
Da polícia?
Do cidadão?
Da família?
Como diria Raymundo Mário Sobral: - Valha-nos quem?

PROERD É TEMA DE PESQUISA ACADÊMICA

Sociólogo Hermes Corrêa Bessa realizou uma importante pesquisa que interessa diretamente à Polícia Militar do Pará. 
O objeto de estudos foi o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), tendo como lócus o município de Santarém, oeste do Pará, onde o programa também é uma realidade positiva e de referência.

A pesquisa do sociólogo alcançou proporções relevantes, uma vez que as intervenções sociais e os dados coletados destinam-se também a auxiliar os policiais militares no aprimoramento do Proerd, que é uma atividade que objetiva atender crianças carentes da periferia de Santarém na conscientização acerca do não uso de drogas.

Os resultados do trabalho foram divulgados no II Seminário Internacional Violência e Conflitos Sociais: Prática de Extermínio, na capital cearense; 15º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância – A procura de Inovação no Processo Ensino-aprendizagem em EAD, no Conselho Latino Americano de Ciências Sociais; e na VI Jornada de Iniciação e Pesquisa Científica do IESPES – 2009.

A conclusão da pesquisa é que os professores do Proerd conseguem despertar a consciência do não primeiro uso da droga em cerca de 95% das crianças atendidas pelo programa. Em todas as apresentações do trabalho no Pará e em outros estados o trabalho da Polícia Militar foi visto como muito positivo e eficaz.

Coordenador de Polícia Comunitária representa o Estado em seminário nacional

          Campo Grande (MS) – O Coordenador Estadual de Polícia Comunitária, tenente coronel Carlos Santana Carneiro, irá representar o estado de Mato Grosso do Sul no Seminário Nacional de Polícia Comunitária, que acontece na próxima semana, de 30 de agosto a 2 de setembro, em Porto Alegre (RS).
 
         O seminário visa contribuir para a formação de uma política nacional de orientação para o setor, com a troca de experiências e de projetos aplicados em diferentes estados. O evento é especifico para as corporações policiais, órgãos de segurança e lideranças comunitárias.
 
        Um encontro dessa envergadura é primordial para a difusão da filosofia da Polícia Comunitária, afirmou  Santana.  “Vai promover a integração entre os estados e favorecer a troca de experiências a partir das ações proativas que estão sendo realizadas em cada unidade da federação ”, ressaltou o coordenador estadual.
 
         Serão oferecidas 35 palestras, sendo que duas serão ministradas por autoridades policiais internacionais, vindas do Japão e da Argentina. Além destes, já está confirmada a presença da secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, dos secretários da Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Beltrame, do Rio Grande do Sul, Airton Michels, e do coordenador nacional de Polícia Comunitária, coronel Erisson Lemos Pita.
 
         O evento é promovido pelo Governo Federal, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), em parceria do Ministério da Justiça e do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. O Seminário Nacional de Polícia Comunitária será realizado no hotel Embaixador, localizado na Rua Jerônimo Coelho, 354. Centro de Porto Alegre. Para mais informações sobre o evento, acesse o site oficial clicando aqui.
 
André Farinha

Curso Nacional de Multiplicador de Polícia Comunitária começa nesta terça, em Marituba


Palestra do diretor do IESP (Instituto de Ensino de Segurança do Pará marcará a solenidade de abertura do Curso Nacional de MULTIPLICADOR DE POLÍCIA COMUNITÁRIA.
O evento ocorrerá neste dia 30 de agosto (terça-feira), conforme programação a seguir:
Abertura: 10h00min
Aula Inaugural sobre o tema “Direitos Humanos”
11h00min – Ten. Cel. Carlos Emilio de Souza Ferreira
Local: Auditório do IESP
Endereço: ROD BR 316, Km 13, Marituba/PA
Traje: Militar: 5º A
          Civil: Esporte Fino