Governo recebe representantes da Federação de Mototaxistas do Pará

Comissão foi recebida por Sérgio Leão

Eliseu Dias/Ag. Pará
O secretário especial de Proteção Social, Sérgio Leão, recebeu, no Centro Integrado de Governo (CIG), uma comissão de mototaxistas de diversos municípios

    Da Redação
    Agência Pará de Notícias
    Atualizado em 30/08/2013 às 18:37

    O secretário especial de Proteção Social, Sérgio Leão, recebeu nesta sexta-feira (30) uma comissão formada por representantes dos mototaxistas de Belém, Ananindeua, Marituba, Castanhal, Salinópolis, Capanema, São João de Pirabas e Curuçá. A categoria, que participou de protestos pelas principais ruas de Belém, solicitou ao governo uma agenda específica para discutir problemas como o exercício ilegal da profissão, grande número de acidentes fatais envolvendo esse tipo de veículo e a falta de fiscalização.
    Segundo o presidente da Federação dos Mototaxistas do Pará, Raimundo Nonato, o Estado tem hoje cerca de 750 mil motos em circulação, mas 61% dos motoqueiros não estariam habilitados. A consequência é o número crescente de acidentes fatais.
    “O que falta é fiscalização e um melhor entrosamento entre os órgãos envolvidos nessa questão. Por isso queremos uma agenda com o governador, para propor um pacto pela segurança no trânsito, com a participação o Tribunal de Justiça do Estado (TJE), Ministério Público Federal e Estadual, Departamento de Trânsito (Detran), Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e Polícia Militar, para que possamos exercer nossa profissão com dignidade e segurança”, destacou Nonato.
    Ao final da reunião, após ouvir os relatos dos representantes dos diversos municípios presentes, Sérgio Leão prometeu convocar, já na próxima semana, uma reunião com todos os órgãos do governo envolvidos na questão, para ter uma real avaliação do problema e dar uma resposta à categoria no prazo máximo de 30 dias. “Temos que nos preparar e dar uma resposta principalmente no que se refere à fiscalização. Sabemos, por exemplo, que muitos criminosos usam motos para praticar seus delitos, por isso precisamos entrar mais pesado nessa área e também no combate aos clandestinos”, disse o secretário.
    Negociações – Quanto ao dia de protestos das centrais sindicais, Sérgio Leão lembrou que as negociações com o governo estão em andamento. Segundo ele, as centrais apresentaram um documento de ordem geral, aos três níveis de governo. “Numa reunião do governador com as centrais, decidimos que faríamos seis grupos temáticos, com a participação de secretários e técnicos vinculados a cada um desses temas, e as centrais também indicaram seus representantes para compor esses grupos”, disse.
    A primeira reunião geral ocorreu na ultima segunda-feira (26), quando foram apresentadas informações sobre a situação fiscal e financeira do Estado. Em seguida, houve a primeira rodada de reuniões com os grupos divididos por temas, como saúde, assistência e saneamento; mobilidade urbana; valorização do servidor; segurança pública; cultura qualificação profissional e educação; financiamento e política pública.
    “As reuniões têm sido muito boas. O diálogo é franco, aberto, o clima é de democracia plena e não temos tido nenhum problema no andamento dessas reuniões. Em duas semanas deveremos ter o fechamento dessas discussões e, aí sim, o resultado será levado ao governador, com a definição de como o Estado poderá fazer ou não os atendimentos”, concluiu Sérgio Leão.

    Texto:
    Marlicy Bemerguy - SEEPDS