Dar voz de prisão virou moda e agora até tenente apela para o artifício porque perdeu o voo


Shot 001
Parece que as autoridades nacionais decidiram que há um só meio para resolver os casos fortuitos em que se encontram: dar voz de prisão a quem eles acham ser a imediata causa dos seus infortúnios.
Dar voz de prisão avacalhou-se a tal ponto que agora até um tenente da Aeronáutica, acometido de um chilique, deu voz de prisão a um funcionário da TAM, no Aeroporto Internacional de Brasília, ontem (29).
O tenente, cujo nome a imprensa ainda não declinou, e a esposa perderam o voo porque a TAM mudou o portão de embarque (o que é fato corriqueiro) e afirma que assim agiu porque o funcionário da TAM “fez chacota da situação deles”. O funcionário nega e retruca que foi humilhado pelo tenente.
Perder um voo, em qualquer circunstância, é um tormento singular, mas não consta na legislação nacional, e nem em qualquer compêndio de direito comparado no planeta Terra, que sofrer “chacota” autoriza quem quer que seja a emitir voz de prisão a quem quer seja.
É uma pena que essa moda viceje quando o meu mandato é crepuscular. É que alguns indivíduos vivem a me chacotear (inclusive aqui no blog) e eu não vou poder dar voz de prisão a eles.
Deve ser uma sensação de poder muito grande dar voz de prisão a alguém...

http://pjpontes.blogspot.com.br/2014/12/dar-voz-de-prisao-virou-moda-e-agora.html