CLIQUE NO VÍDEO PARA ASSISTIR

Loading...

PM inaugura Base Comunitária: rondas nos bairros serão intensificadas

A Polícia Militar de Rondônia inaugurou na tarde de quinta-feira (16) a Base Comunitária do Bairro Jardim Santana, na rua Raimundo Cantuária.
A unidade vai funcionar com policiais e veículo para as rondas no bairro.
 A cerimônia aconteceu com da presença do secretário de Segurança, Defesa e Cidadania, delegado Antônio José dos Reis, e do comandante geral da PM, coronel Luiz Prettz.

A Base Comunitária do bairro Jardim Santana está equipada para oferecer conforto aos policiais e também às pessoas que precisarem se deslocar até lá. A unidade complementa uma experiência vitoriosa da PM no combate à violência, que ganhou força com as ações preventivas na Escola Estadual Ulisses Guimarães.

O policiamento comunitário é uma filosofia de trabalho empreendida pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Luiz Prettz, pois mobiliza a sociedade nas ações de segurança pública, ao invés de confiar esta missão apenas ao poder público. Segundo ele, a população atua de diversas formas e contribui para a eficácia das ações.

http://www.rondoniadinamica.com/arquivo/pm-inaugura-base-comunitaria-no-bairro-jardim-santana,79605.shtml

Governo entrega UNIDADE DE POLÍCIA COMUNITÁRIA e comemora queda da criminalidade

FILOSOFIA DE PROXIMIDADE DO CIDADÃO É SUCESSO NA PARAÍBA
O Governo do Estado inaugurou, na noite dessa segunda-feira (20), a Unidade de Polícia Solidária (UPS) do centro da cidade de Cabedelo, chegando a 18 UPS implantadas em toda Paraíba. A unidade possui um efetivo de 32 policiais militares da Força Tática, comandados pela tenente Viviane Vieira, e fica instalada em um ponto estratégico do município, às margens da BR 230, com acesso rápido a escolas, igrejas, feira livre e pontos comerciais.
Além de um reforço para a segurança, a UPS promove uma aproximação maior com a população, pois trabalha a filosofia de polícia comunitária. A unidade também vai desenvolver projetos sociais para a população, a exemplo de uma escolinha de capoeira para crianças e adolescentes que já funciona na Unidade de Polícia Solidária do Renascer II, inaugurada este ano em Cabedelo.
Para o secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima, a Unidade de Polícia Solidária é fundamental para continuar o trabalho de redução da criminalidade no município. “Quando iniciamos o Programa Paraíba Unida pela Paz, em 2011, encontramos a cidade de Cabedelo com uma taxa de 140 homicídios por grupo de 100 mil habitantes. Com a integração das polícias, ocupação de áreas, reestruturação das condições de trabalho para o policial e estabelecimento de metas conseguimos mudar essa realidade e fecharemos este ano com uma taxa de 50 homicídios por 100 mil habitantes, que é uma redução de quase 70% em comparação ao que encontramos. A instalação da UPS vem para continuar buscando essa redução, pois trabalha a parceria com o cidadão, o que é fundamental para as forças de segurança”, destacou.
O comandante Geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, lembrou as melhorias que as Unidades de Polícia Solidária promovem para a população. “A UPS é muito mais que um espaço físico, ela é um instrumento de aproximação com o cidadão, com policiais convivendo com os moradores, sendo conhecidos pelo nome e conhecendo cada cidadão também pelo nome, o que estabelece uma relação de confiança e, consequentemente, uma cultura de paz. É a polícia mais próxima do povo e estará cada vez mais”, completou.
As Unidades Polícia Solidária apresentam uma redução média de 30% dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) nos bairros e comunidades onde são instaladas, de acordo com os dados do Núcleo de Análise Criminal e Estatística da Secretaria de Segurança e da Defesa Social.
Ausência de crimes - As ações da Polícia Militar foram intensificadas na cidade. Desde junho, não se registra um homicídio sequer em Cabedelo. Com a UPS no centro, que vai abrigar também a base da Força Tática, a ocupação dos espaços pelas viaturas policiais será cada vez maior.  

Redação com Secom-PB

Segurança pública não é para amadores

A segurança pública não é para amadores. A segurança pública não é local para aventureiros e nem xerifes da roça. É trabalho para quem é da área, que estudou, formou-se e aperfeiçoou-se para isso, diga se de passagem estamos muito bem servidos nessa área. O atual secretário de Segurança Pública dr. Joaquim Mesquita, delegado da Polícia Federal é um dos melhores do País com grande experiência tanto na esfera nacional como internacional.
É com certeza o melhor secretário de Segurança Pública que Goiás já possuiu, basta olhar para os resultados como a redução de diversos crimes, prisão de marginas e apreensão de armas e drogas no Estado, consubstanciado com a integração das polícias, os novos equipamentos adquiridos, monitoramento de presos, uso de novas técnicas policiais, mobilidade e aparelhamento da força policial goiana. É absurda a proposta de tirar um profissional desse quilate para substituí-lo por pessoas fora da pasta formada em outras áreas, é no mínimo ridículo. Seria cômico se não fosse trágico.
A população goiana está admirada e agradecida pelo brilhante trabalho da sua força policial com a recente prisão do maior serial killer da história brasileira, é a prova mais uma vez que a Segurança Pública goiana está em boas mãos e as nossas polícias Civil e Militar entre as melhores do mundo.
Temos sim que parabenizar nosso brilhante governador pela escolha de tão boa equipe no comando da Segurança Pública, como na Polícia Civil o dr. João Carlos Gorski, um homem simples, educado, ponderado e um gigante como delegado. Na Polícia Militar o comandante geral cel. Silvio Benedito Alves, um oficial que desde que saiu da escola de formação sempre se dedicou ao serviço operacional conhecendo-o profundamente, ambas autoridades unirão as polícias Civil e Militar em um só corpo e os resultados estão aí, para todos verem.
Goiás é um dos Estado brasileiros que mais prendem marginais e mais armas apreendem, e índices de crimes bárbaros como homicídios caem paulatinamente. Aliado a eles está também o dinâmico e inteligente cel. bm Carlos Helbingen, comandante do Corpo de Bombeiros, sempre procurando inovar e aperfeiçoar cada vez mais em equipamentos e técnicas de resgate, salvamento e combate a incêndios na sua instituição. É aquela velha máxima não se mexe em time que está ganhando.
Falta de respeito com a dor das família de vítimas, descaramento e oportunismo é querer aproveitar da oportunidade de sofrimento em que viviam essas famílias, vítimas deste lunático serial killer, é fazer campanha política interessado somente em ações eleitoreiras. A Segurança Pública goiana avançou muito em Goiás nos governos de Marconi Perillo, saímos praticamente da era das carroças e dos revólveres “carioquinhas”, para a modernidade absoluta com a aquisição de novas viaturas a cada dois anos, armamento de ponta, coletes a prova de bala, salários dignos, carreira célere e muitos outras novidades tanto na Polícia Civil como na Polícia Militar.
Vimos o surgimento da Polícia Comunitária, a ronda de quarteirão, redes de apoio a segurança, o proerd, dentre muitas outras medidas, visando a valorização e o respeito ao cidadão. Precisamos sim é de parlamentares que tenham coragem de mudar a legislação criminal, com leis mais severas que não permitam a soltura de marginais como é agora, isso sim é uma atitude que pode ajudar a melhorar a segurança pública.
Parabéns ao governador de Goiás pela ótima escolha dessa brilhante equipe que compõe a nossa Segurança Pública, como cidadão goiano resta nos aplaudir e agradecer a esses nossos heróis goianos pela prisão não só do maior autor de crimes em série do País, mas também pela prisão de diversos marginais que nos assolam no nosso dia a dia, em todas nossas cidades de Goiás. Muito obrigado Marconi, com você, Goiás tem mais futuro.
(Wilmar Rubens A. Rodrigues, ten. cel/comandante do 2º Bpm)

Defesa Social promove evento comunitário para prevenir crimes

Representantes dos conjuntos e bairros com Bases Comunitárias de Segurança (BCS) em Maceió foram apresentados à filosofia comunitária utilizada no Distrito Federal. 
O coordenador de Capacitação e Polícia Comunitária do Distrito Federal, major José Martins, mostrou os pontos fortes desse modelo de policiamento na palestra “A importância da participação popular na atuação da Segurança Pública”.

O evento foi promovido pela Diretoria de Prevenção da Secretaria da Defesa Social de Alagoas (Seds) e realizado no auditório Aquatune, no Palácio República dos Palmares, na sexta-feira (17). O major Martins mostrou que o policiamento comunitário é um instrumento viável para a prevenção do crime porque atua em sua base, inibindo conflitos familiares e de vizinhança.

“Não é preciso ser polícia para trabalhar com segurança. Atualmente temos cursos com policiais e professores”, destacou Martins. A iniciativa ensina como identificar suspeitos e locais propícios para ação de marginais e o que fazer para minimizar os riscos. Adotada pela Seds como importante auxílio contra a criminalidade, a filosofia de polícia comunitária está presente no Osman Loureiro, Santa Maria, Carminha, Selma Bandeira, Jacintinho e Vergel do Lago.

Segundo o líder comunitário do Jacintinho José de Almeida, as Bases Comunitárias ajudaram muito a população do bairro. “A maior dificuldade que encontramos é convencer os moradores a participar das reuniões. Minha comunidade melhorou muito depois da implantação da Base Comunitária de Segurança. Temos o maior interesse que haja mais investimentos nesse modelo de policiamento”, frisou Almeida.
por Agência Alagoas

Foco: aprenda a exercitar sua capacidade de atenção

Em 1996, Daniel Goleman, PhD em psicologia por Harvard, lançou Inteligência Emocional, livro que se tornaria best-seller no mundo inteiro. Era uma época em que a Teoria das Inteligências Múltiplas, proposta na década de 1980, começava a ganhar força e a tirar dos testes de de QI a hegemonia como principal índice quantificável da inteligência humana.
Dezoito anos depois, a Teoria das Inteligências Múltiplas já é um importante campo de estudos e a inteligência emocional passou a ser valorizada e se tornou algo que os departamentos de recursos humanos levam em consideração na hora de contratar um novo funcionário. Com a importância da inteligência emocional consolidada, Goleman lançaFoco, uma obra que defende a importância da atenção e nos alerta para o fato de vivermos numa era completamente dispersa.
Capa Foco.inddSe em 1996 era importante sublinhar a existência da inteligência emocional diante dos testes de QI quadradões, hoje, com a revolução dos meios de comunicação, a consolidação da internet como ferramenta, os laptops, os smartphones, os tablets e a imensa quantidade de informação que nos é oferecida diariamente, nosso grande desafio é manter o foco nas nossas tarefas rotineiras e nos nossos projetos.
Goleman dispara uma verdade que todos nós já conhecemos: a geração que nasceu na frente do computador tem pouca capacidade de concentração e, consequentemente, não tem foco. Diante de tantas oportunidades de informação, educação e entretenimento, perdemos o costume de parar para pensar e refletir sobre toda a informação que angariamos, o que restringe nossa visão e torna nossas mentes cada vez mais estreitas e incapazes dos saltos que só acontecem após momentos de reflexão e análise profunda.
Os livros que colocam nossos pés no chão e nos auxiliam a manter nossa concentração naquilo que é realmente relevante já se tornaram uma tendência. No seu Conecte-se ao que importa, Pedro Burgos usa sua experiência pessoal de jornalista de tecnologia e hard user de internet para alertar as pessoas para o excesso de informação consumido diariamente. NoGet Things Done (que aqui no Brasil saiu com o título meio auto-ajuda de A Arte de Fazer Acontecer), David Allen ensina o método GTD que se tornou febre e promete ajudar as pessoas a organizar todas as suas tarefas de modo que elas sejam realmente feitas até o fim – semana que vem teremos resenha dele aqui no Gizmodo!
Se o livro de Burgos fala sobre como escolher aquilo que é relevante e o de Allen mostra como não permitir que coisas que não são realmente importantes interfiram naquilo que queremos ver feito e acabado, o Foco de Daniel Goleman explica, numa linguagem leve como podemos programar o nosso cérebro para prestar atenção nas coisas e obter um melhor desempenho nas nossas funções. Um trio bem interessante para se ler ao mesmo tempo.
“A atenção funciona como um músculo: pouco utilizada, ela definha; bem utilizada, ela melhora e se expande.”
Goleman une seus conhecimentos de psicólogo a suas pesquisas na área de neurociência para nos explicar como o nosso cérebro funciona, quais são os momentos nos quais permitimos que nosso foco se disperse e como evitar isso. O resultado é um livro sem academicismo e de leitura fácil, que usa episódios do dia a dia para analisar as questões do foco e da dispersão. Durante a leitura, você certamente vai exclamar algo como “Ei, eu faço exatamente isso o tempo todo!”
O livro se baseia numa tríade de focos: o foco interno, o foco externo e o foco no outro e ensina como juntar os três para tirar o máximo da nossa capacidade de atenção.
“Muito recentemente, a ciência da atenção floresceu para muito além da vigilância. Essa ciência diz que nossa capacidade de atenção determina o nível de competência com que realizamos determinada tarefa. Se ela é ruim, nos saímos mal. Se é poderosa, podemos nos sobressair. A própria destreza na vida depende dessa habilidade sutil. Embora a conexão entre atenção e excelência permaneça oculta a maior parte do tempo, ela reverbera em quase tudo que tentamos realizar.
Essa ferramenta flexível se adapta a inúmeras operações mentais. Uma pequena lista de alguns pontos básicos inclui compreensão, memória, aprendizagem, percepção do que sentimos e por que, leitura das emoções dos outros e interação harmoniosa. Trazer à tona esse fator invisível de eficiência nos permite visualizar os benefícios de aprimorar essa faculdade mental e compreender melhor como fazer isso.”

DOCUMENTÁRIO "CORONÉIS" DISCUTE O PRECONCEITO NA CORPORAÇÃO