Polícia Civil identifica 2º envolvido na morte de policial militar em Ananindeua


Carlos Augusto. Ao lado, ele aparece em imagem de circuito de segurança


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Carlos Augusto. Ao lado, ele aparece em imagem de circuito de segurança

O delegado Paulo Davi Rayol, da Seccional Urbana da Cidade Nova e que está responsável pelo inquérito do caso do latrocínio (roubo seguido de morte) do policial militar Paulo Sérgio Nunes Pinto, apresentou, nesta terça-feira, 8, a foto do segundo envolvido no crime. Identificado apenas como Carlos Augusto, de apelido "Tapuru", o acusado mora em uma área de invasão no Conjunto Cidade Nova 5, em Ananindeua, na Grande Belém. Na casa dele, a equipe policial apreendeu a mochila usada pelo autor dos disparos contra a vítima, Jefferson Wallace da Cunha Santos, de 25 anos, de apelido "Lourinho", que é preso de Justiça e cometeu o crime enquanto estava fora da casa penal, beneficiado por uma saída temporária determinada pela Justiça.

Jefferson Wallace: LatrocidaJefferson Wallace: Latrocida 






O delegado localizou uma ex-namorada de Carlos Augusto, que fez o reconhecimento do acusado. Funcionários de uma farmácia, no Conjunto Cidade Nova 2, onde ocorreu o crime, também reconheceram o criminoso, que agora terá a prisão solicitada ao Poder Judiciário. Segundo o delegado, Carlos Augusto está desaparecido de sua casa, desde o último dia 4, quando Jefferson Wallace foi reconhecido por envolvimento no crime.
O delegado Rayol ressaltou o trabalho integrado entre as Polícias Civil e Militar, ressaltando o nome do coronel PM Simonetti, como fator fundamental para esclarecimento do crime. Foram, ao todo, dez horas de investigações ininterruptas até a identificação e localização do primeiro envolvido no latrocínio do soldado da Polícia Militar e da tentativa de homicídio contra a namorada do policial. O crime ocorreu no último dia 31, à tarde, no interior de uma farmácia, onde o casal fazia compras, quando os dois homens entraram no local, passando-se por clientes e depois anunciaram o assalto. Um deles, ao perceber que o policial militar, que estava de folga do serviço e à paisana, estava armado, apontou a arma em direção à vítima.
Após tomar a arma de Nunes, Jefferson Wallace mandou o casal se abaixar. Ele passou a efetuar disparos contra o soldado e depois atirou em direção à cabeça da esposa. O tiro atingiu o pescoço da mulher. Ambas as vítimas foram socorridas, mas o policial não resistiu e faleceu. Durante as investigações, muitas informações chegaram à Polícia Civil, por meio do serviço Disque-Denúncia, fone 181. APolícia Militar, que também participou das buscas aos criminosos, chegou a deter dois homens apontados como suspeitos de participação no crime, mas, com o andamento das investigações, os nomes dos suspeitos foram excluídos. Jefferson Wallace, que é condenado pela Justiça do Pará há mais de 5 anos de prisão pelo crime de tentativa de latrocínio, cumpre atualmente a pena em prisão semi-aberta, na penitenciária Colônia Agrícola Heleno Fragoso, situada no Complexo Penitenciário do Distrito de Americano, em Santa Izabel do Pará.
Jefferson Wallace teve o direito à uma saída temporária da prisão concedida pela Justiça para passar as festas de Natal e Ano Novo com a família, que mora no Conjunto Cidade Nova 5, em Ananindeua. O presidiário saiu do presídio, no dia 25 de dezembro e deveria retornar no dia 2 de janeiro, mas acabou voltando à casa penal no dia 1º, por volta de 17 horas. A condenação de "Lourinho" foi em decorrência de ter cometido uma tentativa de assalto a um vigilante do prédio do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), localizado na travessa WE-16, na Cidade Nova II, em Ananindeua. O crime ocorreu em 21 de fevereiro de 2011. Naquela ocasião, Jefferson e outro homem, que estava de moto, tentaram roubar a arma do vigilante, mas ele reagiu e trocou tiros com os bandidos. O vigilante levou três tiros, enquanto Jefferson foi atingido por um disparo no abdômen. Ele foi preso em flagrante e mais tarde condenado pela Justiça por ter cometido o crime.
De acordo com o delegado, durante as investigações, a equipe da Seccional da Cidade Nova chegou a uma testemunha importante que revelou o possível paradeiro do autor do crime. A partir daí, os policiais fizeram buscas na casa do acusado, localizada no Conjunto Cidade Nova 5, onde vieram a descobrir, no endereço, que o suspeito estava recolhido na Colônia Agrícola. Os policiais seguiram, então, até a casa penal, onde com apoio da Diretoria Penitenciária do Sistema Penitenciário do Pará, tiveram acesso ao presidiário "Lourinho". A namorada do soldado, já recuperada do tiro que recebeu no pescoço durante o assalto, foi levada até a Seccional Urbana de Santa Izabel do Pará, para onde também o presidiário "Lourinho" foi levado, na noite do último dia 4, para fazer o reconhecimento do acusado. Ele foi colocado, em uma sala de reconhecimento, ao lado de outros presos e foi apontado, sem dúvidas, pela principal testemunha do crime.