Cabos e soldados debatem PEC 300 nesta sexta-feira

A ACS (Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul) realiza, na próxima sexta-feira (2), uma reunião com policiais militares, bombeiros e policiais civis para tratar sobre a PEC 300, proposta que cria um piso salarial nacional para os servidores da segurança pública em todo o Brasil. A audiência acontece na sede da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), a partir das 16h.

Segundo Edmar Soares da Silva, presidente da entidade, o objetivo do encontro é discutir as estratégias de mobilização que serão adotadas antes e durante o ato que será realizado nos dias 20 e 21 de agosto, em Brasília (DF). Na ocasião, trabalhadores da segurança pública de todo o País devem marchar na capital federal para pressionar a Câmara dos Deputados a colocar em pauta a proposta, que segue emperrada desde 2010, quando foi aprovada em primeiro turno.

No início do mês, membros da ACS foram até Brasília para tentar apressar o trâmite da PEC 300. No entanto, alguns líderes de partidos se recusaram a assinar o requerimento que pedia a colocação da proposta em pauta, caso do deputado José Guimarães (CE), líder do PT na Câmara. Durante a viagem, os militares se reuniram com os deputados sul-mato-grossenses Fábio Trad e Marçal Filho, ambos do PMDB. 

O primeiro fez um compromisso, registrado em vídeo, de empenho em prol da PEC 300. Já o segundo protocolou um requerimento na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara para conseguir uma audiência pública que debatesse a proposta.

“Estamos acompanhando diversos protestos pelo País afora, o que deu origem a algumas medidas a serem implantadas pelo Governo Federal. No entanto, não foi observada nenhuma medida que venha atender a área de segurança pública. Temos pelo menos dois assuntos em andamento no Congresso que são de suma importância, entretanto, o Governo Federal sempre virou as costas e impediu a votação”, disse Edmar, referindo-se às PECs 300 e 24.


Fonte: Assessoria/VS