Novo prefeito de Belém irá diminuir gastos da gestão municipal


Zenaldo (Foto: Ingo Müller/ G1) 
Zenaldo (Foto: Ingo Müller/ G1)

Zenaldo diz que cortará gastos da máquina pública para poder investir.
Prefeito eleito promete transparência na gestão pública.

O prefeito eleito de Belém, Zenaldo Coutinho, afirmou que uma de suas primeiras medidas como gestor municipal será diminuir os gastos da prefeitura com a manutenção da máquina pública. "Vamos procurar economizar o máximo possível das estruturas administrativas, para que a gente possa gastar mais com a população", afirmou.
Zenaldo se comprometeu a publicar, no dia seguinte a sua posse, um decreto com o objetivo de controlar a vazão dos cofres da prefeitura através de medidas como a redução das gratifiações dos funcionários da gestão municipal. "Estarei publicando um decreto já no dia 2 de janeiro em que nós vamos fazer economias nos cargos de DAS, de confiança, nos contratos terceirizados, no custo fixo da estrutura - água, luz, telefone. É uma política severa de controle de gastos para que disponha de recursos para investimentos sobretudo nas áreas essenciais".
De acordo com o prefeito eleito, os cortes nos pagamentos de DAS podem chegar a 30%, mas também haverá economias através da revisão de contratos (5%) e da diminuição de custeios em 20%. Segundo Zenaldo, estas medidas não devem prejudicar a administração, já que o corte será feito apenas no que a prefeitura considera excedente. "Não quero uma prefeitura enorme, e postos de saúde sem médicos", avalia.
Vou transferir a SAAEB para o estado. A SAAEB é absolutamente inadimplente, deficitária e não atende as necessidades da população" (Zenaldo Coutinho)

Zenaldo também afirmou que não pretende ampliar a máquina pública através da criação de novas secretarias e cargos, e que também não está nos seus planos privatizar serviços, como o fornecimento de água e esgoto do município, a SAAEB (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Belém). "Vou transferir a SAAEB para o estado. A SAAEB é absolutamente inadimplente, deficitária e não atende as necessidades da população. O dinheiro deste patrimônio eu quero transferir em investimentos, e o estado entra com outra parte. Não quero trazer dinheiro para a prefeitura, quero dinheiro para a população", revela.
Além dos cortes, o prefeito eleito prometeu mais transparência na gestão, o que deve ocorrer através de investimentos na informatização dos sistemas da gestão municipal. "Nosso primeiro momento será preparar a rede institucional (da prefeitura). Eu fiquei surpreso de ver o total desaparelhamento do município em termos de informática. A gente precisa construir isso internamente. Eu quero dar, como primeira contribuição ao município, a transparência das contas, e isso só pode se dar através da informatização", afirmou Zenaldo, que deverá recorrer ao BNDES para financiar o projeto de digitalização das contas públicas. "Esse será o foco inicial nesse momento de emergência em que estamos assumindo", conclui.