PROERD DA PMPA NO MARAJÓ INICIA ATIVIDADES:

 No Marajó, onde foi implantado desde 2007, atingindo os municípios de Ponta de Pedras, Cachoeira do Arari, Salvaterra e Soure, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência – Proerd, é coordenado pelo 8º batalhão PM, e já formou mais de 3.180 alunos.

Para a continuidade do programa, é considerado fundamental o trabalho de parcerias com os estabelecimento de ensino, uma vez que o Proerd tem como público principal crianças e adolescentes do ensino fundamental. Por isso, a reunião que teve como participantes da PM o tenente coronel PM Zildomar, os cabos PM Clara, Ângela e Ataíde, além do soldado PM Sarmento, com a secretária municipal de educação em Soure, Rosiléia Felipe Brito, foi avaliada positivamente, resultando na confirmação da parceria junto às unidades de ensino municipais com a PM, materializada na definição das escolas que participarão do programa em 2013, a discussão acerca da aplicação da cartilha do Proerd e outras considerações específicas e estratégicas para o desenvolvimento do trabalho pedagógico.



Na esteira da atuação do Proerd, outra reunião foi considerada estratégica para o programa; desta vez, com a diretora da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Edda de Souza Gonçalves, Suzinete Dantas e os pedagogos Waldir Barbosa, Rosileia Brito e Dóriso, integrantes da unidade escolar, a fim de definir as ações do programa para os alunos do 7º ano da escola.

O sucesso do Proerd na região é o resultado de mais de 5 anos de trabalho de diversos instrutores; com destaque para policiais como a cabo PM Clara, que constantemente realiza palestras como a que fez para jovens, residentes nas Vilas de Água Boa e Jumbim, no município de Salvaterra, durante a realização do Retiro Espiritual na Betânia, pertencente a Prelazia do Marajó.




A militar trabalhou o tema “O Proerd e o Estatuto da Criança e do Adolescente“, que também considerou a parceria da PM com a comunidade, com foco nos adolescentes e jovens, que são orientados como proceder diante das pressões psicossociais da sociedade atual para resistir às drogas e à violência.