Polícias Civil e Militar capturam acusado de latrocínio em Salinópolis

Agência Pará de Notícias

Já está preso em Salinópolis, nordeste paraense, um dos acusados de envolvimento no latrocínio que teve como vítima o empresário André Nunes, conhecido como "Gaúcho", morto a tiros em frente à sua residência, naquela cidade. Detido no começo da noite de segunda-feira, 1º, Clébio dos Santos da Cunha, conhecido como "Feijoada", foi reconhecido pela esposa da vítima, que testemunhou o crime, ocorrido por volta de 1h30 da madrugada do mesmo dia. Segundo Saullo Patrício Andrade, titular da Delegacia de Salinópolis, no momento da prisão Clébio estava de posse de uma faca, mas não esboçou reação. O preso foi conduzido para a unidade policial por uma guarnição da Polícia Militar. As investigações prosseguem para identificar e prender o segundo envolvido no crime.
O empresário André Nunes foi morto com dois tiros quando chegava em casa. A esposa, que estava com a vítima na ocasião, relatou ter visto um fio amarrado ao portão da frente da residência do casal. Mesmo assim, ela desceu do carro para abrir a garagem. Nesse momento, ela foi surpreendida por dois homens que estavam escondidos atrás do muro de uma das casas próximas. Um dos bandidos sacou de uma arma e a apontou em direção à mulher, enquanto o comparsa, também armado, mirou no empresário que estava no carro.
Segundo a esposa do empresário morto, o assaltante que lhe apontava a arma teria para que ela não se preocupe, "que tudo daria certo". Porém, logo em seguida, o mesmo bandido virou-se em direção ao carro e disparou contra o empresário, no momento em que ele abria a porta do veículo. Outras testemunhas ouvidas em depoimento relataram terem ouvido três disparos. Depois do baleamento, os bandidos fugiram. O crime foi comunicado à Delegacia de Salinópolis, de onde a equipe de investigadores passou a apurar o caso. Depois de coletar informações sobre as características físicas dos assaltantes, policiais civis e militares iniciaram as buscas pelos criminosos.
Durante as investigações, quatro pessoas que presenciaram o crime foram ouvidas. "Foi com base nessas informações que chegamos até Clébio dos Santos", explica o delegado. A esposa não teve dúvidas em reconhecê-lo como um dos latrocidas. O delegado Saullo Patrício ressalta que tanto a Polícia Civil como a Polícia Militar de Salinópolis estão empenhados nas buscas ao outro envolvido no latrocínio, para que sejam presos e levados a julgamento.
Texto:
Walrimar Santos - Polícia Civil