Um mar de luz preenche as ruas de Belém na noite deste sábado, 12 de outubro

Segunda maior romaria da Festa Nazarena em número de fiéis emociona pela beleza e pelas homenagens à Virgem de Nazaré
Foto_Transladacao
(Foto do Círio de 2012,  Adriano Chedieck)
Há mais de 126 anos o povo paraense se reúne para acompanhar a procissão que leva Nossa Senhora de Nazaré do Colégio Gentil Bittencourt até a Igreja da Sé para a saída do Círio. A Trasladação, ou procissão de luz, do Círio 2013 será realizada neste sábado, dia 12 de outubro, com saída às 17h30. Antes da saída da romaria, o Arcebispo metropolitano Dom Alberto Taveira, celebra uma missa, às 16h30, no altar instalado sobre um tablado em frente ao Colégio Gentil Bittencourt.
Com trajeto um pouco mais longo que o do Círio, com percurso de 3,750 Km, a Trasladação faz o sentido inverso, saindo do Gentil até a Igreja da Sé, com chegada prevista para às 23h30, no bairro Cidade Velha. Como na Procissão de Círio, Nossa Senhora de Nazaré recebe várias homenagens, entre as mais tradicionais estão a dos Sindicatos dos Estivadores e dos Arrumadores do Pará, que soltam fogos de artifício em honra à Rainha da Amazônia, um espetáculo emocionante de cores e luzes. Por acontecer à noite, a procissão marcada pela fé e devoção a Virgem de Nazaré, ganha uma beleza especial.
E para contribuir ainda mais para a beleza da procissão deste ano, a Diretoria da Festa e a Arquidiocese de Belém apoiaram o projeto “Luz do Círio”, idealizado por Rossilene Guzzo. Para o diretor coordenador do Círio, Kleber Vieira, as luzes dos castiçais proporcionam a criação de um mar de luz, dando ainda mais beleza a procissão. “A Trasladação já é tão grande quanto o Círio. Ano passado foram 1,4 milhões de pessoas acompanhando Nossa Senhora rumo a Sé, muitos deles com velas, terços e também promessas. Nós apoiamos o projeto por acreditar em sua funcionalidade e esperamos que as pessoas participem do projeto e venham louvar a nossa Mãe”, convoca o diretor.
Diferente do que ocorre no Círio, o único carro que sai em procissão na Trasladação é a Berlinda – que conduz a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré. Este ano a decoração do andor será de Vando Nascimento e a iluminação fica por conta da lighting design Thaiza Dias, que traz nuances de branco e também de amarelo para a berlinda do Círio 2013. Os outros 13 carros de promessas só poderão ser vistos na grande procissão do Círio.
Participação dos fiéis – Pesquisas apontam que o número de fiéis que acompanham a Trasladação aumentou bastante nos últimos anos. Em 2000, estimou-se que o número de participantes ficou em torno de 350 mil; em 2003, a estimativa da participação foi de cerca de 500 mil pessoas. Em 2009, cerca de 1,2 milhão de pessoas prestigiaram a festa, o que pode ser notado na disputa por espaço na corda atrelada à Berlinda, que se aproxima ao que acontece na grande procissão de domingo. Em 2012, aproximadamente 1,4 milhão de pessoas participaram da Trasladação.
História – Na primeira Trasladação foi conduzida pelo próprio Governador Francisco de Souza Coutinho, junto com o Capelão do Palácio, Pe. José Roiz de Moura, que levaram a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré em uma breve procissão da Matriz até o Palácio. Não há uma data precisa e também não há registro se houve ou não acompanhamento de pessoas do povo.
Em 1887, o traslado saía do Colégio Amparo (em fevereiro deste ano, através do decreto de nº 414 do Governador Dr. Augusto Montenegro, o Colégio Amparo mudou sua denominação para Instituto Gentil, permanecendo no antigo endereço, na Rua do Açougue). Em 26 de junho de 1906 foi inaugurado o novo Colégio Gentil Bittencourt, onde permanece até hoje. Neste mesmo ano, a Trasladação passou a sair do colégio, no novo endereço, na avenida que atualmente é denominada Avenida Magalhães Barata.
Nos anos 70, por ser uma procissão noturna, com clima ameno, as senhoras de mais idade reuniam-se em grupos e seguiam a procissão na corda. A partir de 1985, com o aumento de promesseiros na corda, a participação das senhoras começou a ficar problemática. Atualmente a corda da Trasladação é tão disputada quanto a do Círio. Em ambas as procissões é utilizada uma corda com 400 metros.
Só em 1988, a Trasladação passou a ter o mesmo trajeto do Círio, mas em sentido inverso, pois antes disso, ela ainda seguia até a Sé tendo a Avenida Governador José Malcher como rua central do percurso. Em 2005, a Trasladação foi uma das mais longas dos últimos anos, demorou cerca de 6h com a Berlinda chegando à Sé por volta de 00h, já na madruga do sábado para o domingo.
Presume-se que a primeira missa celebrada por ocasião da Trasladação tenha sido em 1887, na capela do Colégio Amparo. Em 1992, no Círio de número 200, passou-se a colocar um tablado sobre as escadarias do Colégio para celebração da missa, a fim de permitir uma melhor visibilidade da Liturgia. Até o ano de 1996, a missa era realizada às 18h, com saída da procissão às 19h, mas a partir de 1997, foi antecipada em uma hora, para agilizar a chegada da Imagem Peregrina.
Com o crescimento da romaria em número de participantes a cada ano, em 2009, a missa foi antecipada para às 16h30. Com a mudança, que permanece em 2013, a saída da Trasladação será às 17h30 e a estimativa de duração é de 5 horas.
Percurso – A saída é realizada do Colégio Gentil Bittencourt, segue pela Av. Magalhães Barata, Av. Nazaré, Av. Presidente Vargas, Av. Boulevard Castilho França, Av. Portugal, Praça do Relógio até a chegar à Igreja da Sé, no bairro da Cidade Velha.