Universidade do Maranhão repudia divulgação de caso do vírus Ebola

NOTA DE REPÚDIO
A Universidade Federal do Maranhão vem a público repudiar veementemente as informações veiculadas nos órgãos de comunicação do Estado sobre um aluno nigeriano que teria falecido, contaminando pelo vírus Ebola, e que outros cinco estudantes estariam contaminados e internados no Hospital Universitário. Por isso, em respeito aos alunos africanos estudantes da UFMA e à opinião pública, tanto a instituição quanto os alunos vêm esclarecer que:

1 - Não há nenhuma informação de que um estudante nigeriano teria desembarcado em São Luís na última terça-feira (29) e, muito menos, com o vírus Ebola;

2¨- Todos os 35 estudantes africanos estão em perfeita condição de saúde e permanentemente acompanhados pelo programa de assistência que inclui, entre outros benefícios, assistência médica regular;

3 - A direção do Hospital Universitário já informou à opinião pública de que a informação transmitida pelas redes sociais é inverídica, preconceituosa e visa somente denegrir a imagem dos estudantes;

4 - A UFMA é uma das instituições de ensino superior do País que mais tem recebido estudantes africanos desde 2008 e afirma – com orgulho – que todos assumiram o Maranhão como a sua segunda casa. Por isso, é intenção da UFMA receber cada vez mais estudantes dos países Guiné Bissau, Angola, Cabo Verde, Nigéria, Benim, Congo, Guiné Conacri, Timor Leste e Moçambique.

5 - Os estudantes ressaltam que a veiculação desta informação é um ato intencional de pura maldade, preconceito, racismo e discriminação contra o povo africano.

Administração Superior da UFMA

Comunidade Acadêmica Africana da UFMA

http://portais.ufma.br/PortalUfma/paginas/noticias/noticia.jsf?id=43726