MULHER DO EX GOLEIRO BRUNA FALA DO SEU RELACIONAMENTO COM BRUNO E MACARRÃO

Ingrid estava com Bruno antes da morte de Eliza
Foto: Divulgação/ Record

Na última quinta-feira (19), Gugu Liberato exibiu a entrevista com Ingrid Calheiros, mulher do ex-goleiro Bruno. Durante a conversa, a moça abriu o jogo ao apresentador e contou detalhes de como iniciou o relacionamento com o ex-goleiro e como era o convívio com os amigos dele, inclusive, com o mais próximo, Macarrão.
Aos 29 anos, Ingrid é uma moça de aparência jovial. Já estava com Bruno antes da morte de Eliza Samudio, em 2010, mas não era a oficial do ex-goleiro. Os dois se conheceram por acaso durante um trabalho de Ingrid.   
“Eu fazia um evento de figuração. No dia que conheci o Bruno, fui chamada para fazer uma gravação. Naquele momento, a gente estava gravando e, de repente, desceu o time inteiro do Flamengo. Era o hotel que o Flamengo concentrava. Eu tinha, na época, um namorado que era fã do Flamengo e que me pediu uma foto do Bruno. Tirei uma foto com ele para até então entregar [ao namorado]. O Macarrão me abordou pedindo o meu telefone, dizendo que o Bruno queria o meu telefone. Eu falei que não iria dar porque já tinha outro relacionamento. No outro dia, me surpreendi com uma ligação do Bruno”. 
Logo depois, Ingrid e Bruno construíram uma forte amizade que resultou em um relacionamento.
Gugu: Mesmo namorando, vocês começaram uma amizade?   
Ingrid: A gente conversava, mas, até então, não dava abertura a ele porque, na minha cabeça, não iria dar em nada. O meu namoro não estava muito bom. Já estava em fase de término. A fama de jogador de futebol é péssima, a pior possível, e eu não queria me envolver com ele. Fiz de tudo para não me envolver.
Porém, o tempo passou e Ingrid se apaixonou por Bruno. Ele estava no auge da carreira, era ídolo da maior torcida de futebol dos país e tinha a fama de mulherengo.
Gugu: Nessa época, ele estava sozinho?   
Ingrid: Pra mim, ele estava sozinho porque morava no Rio. Eu frequentava a casa dele e nós estávamos um ano juntos. Depois, descobri que ele era casado e tinha duas filhas.   
Gugu: Mas você só descobriu depois?   
Ingrid: Sim, eu descobri um ano depois!
Gugu: Não era uma coisa de que todos sabiam?   
Ingrid: Eu não sabia. Na verdade, eu nunca procurei saber. Estava com ele diariamente. Eu entrava na casa e não tinha ninguém. Logo, não imaginava que ele tinha uma esposa. Descobri da pior forma possível. Eu recebi uma ligação da então ex-mulher. Foi uma conversa de muito baixo nível. Fiquei em choque. Ela disse quem era e o que tinha [com ele]. Eu queria conversar com ele e queria que ele me dissesse. Com um ano de relacionamento, eu já estava envolvida e apaixonada. Foi aquele baque, detalhou Ingrid a Gugu sobre o papo com Daynne.
Cara a cara com Ingrid, o ex-goleiro confirmou a história.   
“Fui conversar e ele me confirmou que era casado no papel, mas que não vivia com ela e não tinha nenhum contato. Só que aquilo não era o que sonhei pra mim. Eu queria construir uma família pra mim e não pegar uma pronta. Ali, a gente resolveu se separar”. 
Gugu: Você e a Dayanne se dão bem?   
Ingrid: Não, a gente se respeita. Mas, ela lá e eu aqui. A gente não tem nenhum tipo de contato. Mas acredito que não tem nenhum tipo de atrito. Tudo ficou para trás, até porque ela já tem a vida dela e o relacionamento dela. Já teve até outro filho. Acredito que não é um tipo de problema. Acho que, futuramente, ela sabe que a gente vai ter que conviver, vou ter que conviver com os filhos dela, que são do Bruno, e vou tomar como meus. Acho que não vai ter nenhum problema.
Alguns meses depois da separação, Ingrid cedeu as novas investidas de Bruno. Eles voltaram a namorar, mas o ex-goleiro não havia deixado as outras mulheres de lado. Entre elas estava Eliza Samudio.
Gugu: Exatamente no período do namoro de vocês, ele se relacionou com a Eliza? Você perdoa ele? Mesmo tendo acontecido isso?   
Ingrid: Sim. Na época, eu não acreditei porque, depois de um tempo, as nossas agendas eram muito complicadas. Eu fui morar com ele. Nesse tempo que ele conheceu Eliza, eu estava me recuperando de uma cirurgia na casa da minha mãe. Quando ela apareceu falando que aconteceu alguma coisa, ele me disse que não era verdade. Que ela estava querendo 15 minutos de fama e não aconteceu. Eu acreditei nele.
Porém, a verdade veio à tona para a mulher do goleiro.  
“Só depois que as coisas aconteceram, ele me disse que tinha medo de me contar. Que foi uma fatalidade, uma noite que não tinha que tivesse acontecido. Enfim, a verdade é que perdoar eu perdoei porque a única diferença deste relacionamento é que ele era famoso e todo mundo ficou sabendo. É uma hipocrisia as pessoas falaram que isso não acontece porque acontece com todo mundo. Quando percebi que amava, eu decidi passar por cima disso. Até então não tinha acontecido nada. [Eliza] estava naquele período de "tá grávida e não tá grávida".
Em outro trecho da entrevista com Bruno, Gugu pergunta se ele é um homem de muitas mulheres.  “Não é de muitas mulheres. Hoje, eu tenho uma mulher só!”. 
Gugu: Mas no passado?   
Bruno: A profissão que eu exercia é muito desejada. As mulheres têm acesso fácil. Existem pessoas que dão em cima, que não respeitam, mesmo com as mulheres ao lado. As pessoas davam em cima e não respeitavam.
Durante o tempo que viveu com Bruno, Ingrid foi testemunha das festas organizadas na casa do ex-goleiro. Encontros regados a álcool e mulheres. Ela se lembra desse tempo e de uma crise de ciúmes.   
“Todo mundo que andava com o Bruno frequentava (as festas). Eu acabei com uma das festas. Cheguei com o carro na garagem e atropelei várias mesas. Eu já estava louca, atropelei as mesas, desliguei o som e disse que havia acabado a festa. Quando cheguei ao meu quarto, vi o Macarrão e o primo, que era menor (de idade), sentados na varanda todos furiosos comigo. Eu “tava” adorando, queria mostrar que não seria isso na minha casa”. 
Na época da morte de Eliza, Macarrão, empresário e responsável pelos negócios relacionados a carreira de Bruno, passou a morar junto com o casal.   
“Até então, ele iria morar em outro lugar e ficaria em casa provisoriamente. Só que a convivência era insuportável. Não existia respeito. Acho que ele fazia de tudo para me tirar da casa. Era festa todo dia. Quando o Bruno estava e não estava”. 
Gugu: Mesmo você morando lá?   
Ingrid: Mesmo eu morando com o Bruno.   
Gugu: Você não tinha voz ativa para dizer que não queria mais aquilo?   
Ingrid: Eu fiz isso várias vezes, só que o Macarrão era uma pessoa na frente do Bruno e outra quando ele não estava. Na hora que ele não estava, o Macarrão era extremamente agressivo, arrogante e nunca fez questão de ser simpático.   
Gugu: Você não contava para o Bruno?
Ingrid: Sim, mas não sei, parecia que o Bruno estava cego
Gugu: Você acha que o Macarrão se apaixonou pelo Bruno?   
Ingrid: Não!   
Gugu: Nem uma paixão fraterna?   
Ingrid: Sim, mas isso era da parte do Bruno. Ele o considerava como irmão. Acho que ele [Macarrão] tinha medo de perder o posto de dono das coisas
Ingrid comentou a polêmica tatuagem que Macarrão possui nas costas. Gugu leu os dizeres: "Bruno e Maka, a amizade que nem mesmo a força do tempo irá destruir. Amor verdadeiro"
"Aquilo ficou meio esquisito. Eu não acredito que ele seja homossexual. Talvez seja uma maneira de não ficar com a consciência pesada. O Bruno estava para sair do País e ele queria ir junto", contou Ingrid a Gugu.
Com informações do Portal R7