Pará é o muiraquitã da Imperatriz Leopoldinense na Marquês de Sapucaí

O Pará será homenageado no Carnaval do Rio de Janeiro pela escola de samba Imperatriz Leopoldinense.

Com o tema “Pará - o Muiraquitã do Brasil”, a escola vai mostrar a arte, a cultura, a culinária e a história do Estado. Para conceber a estrutura do desfile, que vai levar para a Avenida Marquês de Sapucaí cerca de 3 mil brincantes, distribuídos em 32 alas, e carros alegóricos com ícones paraenses, como o Theatro da Paz, o Ver-o-Peso, a cerâmica marajoara, o artesanato de miriti e o amuleto muiraquitã (que remete à lenda das índias Amazonas), a Imperatriz contou com o apoio do governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e da Companhia Paraense de Turismo (Paratur).
Segundo Wagner Araújo, diretor de Carnaval da Imperatriz Leopoldinense, o apoio institucional do governo foi fundamental para que a escola obtivesse rapidamente as informações sobre o Pará, e facilitou a aquisição de matéria prima regional. “Quero agradecer, em nome da escola, todo o apoio logístico que a Paratur vem dando pra gente. O mais difícil nesse trabalho é conseguir mostrar tudo o que o Pará tem em um único desfile. É tanta coisa para mostrar que a gente tem material para pelo menos mais três carnavais. Tenho certeza que essa parceria vai manter as portas abertas entre a escola e o Pará”, disse Wagner Araújo.
A ideia de ter o Pará como tema do enredo deste ano surgiu em 2011, quando o intérprete Dominguinhos esteve em Belém e comentou sobre a beleza do Estado com os carnavalescos da Imperatriz ao retornar ao Rio de Janeiro. Após a aprovação do Pará como tema de 2013, os carnavalescos da escola fizeram várias visitas ao Estado, para conhecer de perto a cultura paraense.
Wagner Araújo ressaltou que a grande preocupação é mostrar o Pará sem caricaturas, com sua essência real. “A gente buscou mostrar o Pará como um todo, e não apenas a capital paraense. Temos a preocupação de mostrar a força que o Estado tem na Federação, e que a maioria das pessoas no sul e sudeste não conhece. O Pará é como um amuleto da sorte de todo o país”, reiterou.
O Círio de Nazaré também será abordado no desfile, mas sem a imagem da santa padroeira dos paraenses. A diretoria da escola informou que cerca de 200 paraenses irão ao Rio de Janeiro para desfilar no sambódromo. Artistas paraenses também marcarão presença na Sapucaí, como a cantora Gaby Amarantos, que já confirmou presença no desfile.
“A fé do povo paraense é algo impressionante, e estamos tendo muito tato para levar isso para a avenida, com todo o respeito que o tema merece. É muito bom ver que os paraenses estão vindo pro Rio para desfilar com a gente. Também percebemos a presença de muitas pessoas do Pará que moram no Rio, e que participam dos nossos ensaios na comunidade”, contou Wagner Araújo.
Divulgação - Segundo o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes, a homenagem da escola é um presente aos paraenses, e uma importante ferramenta de divulgação do Estado, pois além das vinhetas de divulgação do enredo nos principais meios de comunicação nacionais, o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro é transmitido ao vivo para todo o Brasil e para mais de 140 países. Para aproveitar o momento de promoção do Pará, a Paratur vai desenvolver ações de fortalecimento de marketing antes, durante e depois do Carnaval.
“Nós vamos aproveitar o Carnaval para fortalecer o turismo no nosso Estado. O Pará vem despontando no cenário nacional com a sua música, culinária e cultura, e essa homenagem na Sapucaí é a culminância de tudo isso. Fico muito feliz em poder vivenciar esse momento, em que a Imperatriz presta essa homenagem Pará, destacando a nossa riqueza natural e cultural, que é uma das principais referências da cultura brasileira”, destacou.
Esta não é a primeira vez que o Pará é homenageado no Carnaval do Rio de Janeiro. Em 1998, a Beija-Flor de Nilópolis levou ao sambódromo o tema “Pará - O Mundo Místico dos Caruanas nas Águas do Patu-anu”, e foi campeã naquele ano. O Círio de Nazaré também foi tema da Estácio de Sá em 1975, e o mesmo enredo foi mostrado pela Viradouro, em 2004.

Abaixo, a letra do samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense.

"Pará - O Muiraquitã do Brasil"

Autores: Me leva, Gil Branco, Tião Pinheiro, Drummond e Maninho do Ponto.
Intérpretes: Dominguinhos do Estácio e Wander Pires.

Raiou Cuara!
Oby aos olhos de quem vê!
Eu bato o pé no chão, é minha saudação,
Livre na pureza de viver!
Sopra no caminho das águas
O vento da ambição!
O índio, então...
Não se curvou diante a força da invasão,
Da cobiça fez-se a guerra,
Sangrando as riquezas dessa terra!
Cicatrizou, deixou herança,
E o que ficou está em cartaz...
Na passarela, “estado” de amor e paz!
Siriá... Carimbó... Marujada eu dancei!
No balanço da morena... Me apaixonei!
O bom tempero pro meu paladar...
De verde e branco “treme” o povo do Pará!
A arte que brota das mãos,
Dom da criação, vem da natureza...
Da juta trançada em meus versos
Se faz poesia de rara beleza!
Oh! Mãe... Senhora, sou teu romeiro,
A ti declamo em oração:
Oh! Mãe... Mesmo se um dia a força me faltar,
A luz que emana desse teu olhar
Vai me abençoar!
No Norte a estrela que vai me guiar,
Exemplo pro mundo: Pará!
O talismã do meu país,
A sorte da Imperatriz!


Texto:
Dani Filgueiras - Secom