Politicamente correto

Politicamente correto O politicamente correto...
Valter Padulla


O politicamente correto é um moralismo travestido. O sujeito não quer falar em nome da moral, porque a moral se tornou feia, a moral lembra repressão, etc, então ele inventa, ele troca o nome, ele passa lá um verniz... e passa a dizer “politicamente correto”. Mas isso é uma coisa tão repressiva quanto qualquer moralismo velho... Quer dizer, agora tudo passa a ser feio e passa a ser fiscalizado.

Mais ainda: o politicamente correto é um pretexto de que o Estado moderno se utiliza, para exercer sobre a vida do cidadão uma fiscalização que nem regimes totalitários e tirânicos tiveram a coragem de fazer. Se você dissesse a Mao Tsé-Tung (Mao Tsé-Tung é o homem que matou 60 milhões de pessoas): “Nós vamos inventar uma lei aqui que vai fiscalizar olhares”, Mao Tsé-Tung ficaria horrorizado; Átila, o huno, ficaria horrorizado... no entanto nos Estados Unidos tem isto. O sujeito olhou de determinada maneira para a perna de uma mulher, pronto, cadeia.

É uma espécie de neototalitarismo que acontece igual nos países neoliberais e nos países socialdemocratas, é um fenômeno que não tem nada a ver com isso. Tem a ver com o crescimento do Estado para dentro da psique humana. Para mim este é o fenômeno mais alarmante do século (trecho de entrevista de Olavo de Carvalho a Pedro Bial, disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=TdNj1FJ5KIw).