É preciso compreender a periferia


A periferia é a eterna vítima territorial e talvez o produto direto da violência da urbanização e da globalização.
Mesmo se for adotado o ponto de vista “genérico”, é necessário contextualizar a periferia e sua eventual violência, situando (espacial e historicamente) as relações entre as violências identificáveis em nível local e a violência da urbanização/violência da globalização.
É perfeitamente viável começar pela periferia para compreender as dinâmicas da cidade e contribuir diretamente à explicação global das mutações urbanas contemporâneas.

(Texto extraído da monografia do Ten Cel PM NEIL, da PMPA)