Programa Crack, é possível vencer capacita mais de 105 mil agentes em 2012


O governo federal investirá, até 2014, um total de R$ 4 bilhões no programa Crack, é possível vencer. Os recursos estão sendo investidos nos eixos cuidado (aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários), autoridade (enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas) e prevenção (educação, informação e capacitação).
O Ministério da Justiça apresentou, na última semana do ano, os resultados do programa no eixo autoridade, sob a responsabilidade da Secretaria Nacional de Segurança Pública, e no eixo prevenção, conduzido pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas.
No eixo Prevenção, foram capacitados cerca de 105 mil pessoas, entre profissionais de saúde, assistência social, segurança pública, educadores, lideranças comunitárias e operadores do direito (juízes, promotores e defensores públicos). Todos os capacitados atuam diretamente com usuários e dependentes de crack e outras drogas.
O Edital de Chamamento para Comunidades Terapêuticas foi publicado e vai gerar mais de 10 mil vagas para acolher gratuitamente usuários e dependentes de drogas em todo o país. As Comunidades Terapêuticas têm até janeiro de 2013 para enviar a documentação. Os profissionais das entidades selecionadas participarão de cursos de capacitação oferecidos pela Senad/MJ e os serviços prestados serão constantemente avaliados.
Outra vertente do conjunto de ações para enfrentamento das drogas é a prevenção do problema por meio da capacitação de professores e policiais militares educadores. Esses agentes serão qualificados para explicar o efeito das drogas nas escolas. A meta é capacitar, até 2014, 210 mil educadores de escolas públicas de todo País. O alcance previsto é de 2,8 milhões de alunos ao ano, em 42 mil escolas.
A população também conta com o Serviço VivaVoz-132, central de atendimento telefônico gratuito, especializado em prestar orientações e informações sobre drogas.
Eixo Autoridade - a partir da atuação integrada das polícias Federal, Rodoviária Federal, Civil e Militar, a Senasp/MJ busca a desconstrução da rede de narcotráfico. Nos estados e no Distrito Federal, a articulação das polícias estaduais e distrital aumenta a segurança em locais de concentração de uso do crack e de outras drogas, com policiamento ostensivo, de proximidade, associado ao acompanhamento da área por videomonitoramento.
A revitalização de áreas de concentração de uso de drogas nas cidades e a melhoria do convívio social estão sendo promovidas por meio da recuperação dos espaços, da mobilização comunitária nessas regiões e da implementação de espaços urbanos seguros.
Os profissionais de segurança pública recebem capacitações para o trato com usuários de drogas. Foram criados cursos específicos para qualificar a atuação dos profissionais de segurança pública: policiais militares e civis, bombeiros, peritos e guardas municipais.
A Senasp também investirá na formação de novos instrutores e mentores do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd). O programa trabalha diretamente na prevenção primária ao uso de substâncias entorpecentes e à violência no ambiente escolar e é voltado para alunos das séries iniciais, 5º ano e 7º ano. Está prevista a capacitação de 1.600 profissionais de segurança pública para atuação nas cenas de consumo e de 1.080 policiais militares do Proerd eM 2012, com um investimento de aproximadamente R$ 7,6 milhões.
Até o final de 2014, a previsão é de que sejam formados, ao todo, 2.840 profissionais de segurança pública para atuação nas cenas de consumo e de 3.240 policiais militares do Proerd, totalizando um investimento de aproximadamente R$ 13,3 milhões.
Foram capacitados 735 profissionais de segurança pública nos 12 estados que aderiram primeiro e existe uma agenda de capacitações em pleno andamento.
Estão previstos, ainda, investimentos de R$ 135 milhões, para aquisições dos equipamentos de policiamento ostensivo com videomonitoramento.