VIOLÊNCIA CRESCE EM SALINAS E PREOCUPA O ESTADO

PUBLICADO NO SITE CLICSALINAS

A violência no município de Salinópolis vem aumentando. Não basta ser um especialista em segurança pública para perceber que os moradores andam preocupados com o número de roubos e assaltos a mão armada que estão acontecendo no dia a dia.


A Polícia Militar trouxe todo um aparato de guerra para conter a violência no município neste carnaval, como o Helicóptero Guardião equipado com alta tecnologia; a Rotam (Ronda Tática Matropolitana), também enviou um efetivo super equipado para conter o índice de violência que aumentou pós-eleição no município mais badalado e procurado pelos veranistas neste feriado.

A grande questão que atormenta o povo de Salinas é que passado o feriado de carnaval toda essa estrutura de segurança vai embora e, os moradores ficam novamente reféns da bandidagem crescente.

Para alguns moradores, o problema está na falta de ações públicas por parte dos órgãos que cuidam da segurança no município. Segundo a moradora do bairro João Paulo II, dona Clemilde Oliveira Silva, 55 anos, a bandidagem vem aumentando no bairro por causa das inúmeras bocas de fumo existente no local. " Eu não sei o que é que a acontece, pois a Polícia prende o bandido, mas daqui a pouco já está solto aterrorizando as famílias de novo", ressaltou D.Clemilde.

Situação triste é a do senhor Hamilton Pinto Dias, 51 anos, morador do bairro Bom Jesus, que de outubro do ano passado para janeiro deste ano já foi assaltado quatro vezes, duas vezes somente no mês de janeiro. " É preciso que as autoridades façam alguma coisa. Os bandidos não respeitam mais ninguém. Num assalto eles me colocaram uma faca na cabeça e me roubaram o meu celular. Noutra vez, foi a minha bicicleta que ainda estou pagando na loja", diz entristecido.
A violência no município de Salinópolis vem aumentando. Não basta ser um especialista em segurança pública para perceber que os moradores andam preocupados com o número de roubos e assaltos a mão armada que estão acontecendo no dia a dia.

A Polícia Militar trouxe todo um aparato de guerra para conter a violência no município neste carnaval, como o Helicóptero Guardião equipado com alta tecnologia; a Rotam(Ronda Tática Matropolitana), também enviou um efetivo super equipado para conter o índice de violência que aumentou pós-eleição no município mais badalado e procurado pelos veranistas neste feriado.

A grande questão que atormenta o povo de Salinas é que passado o feriado de carnaval toda essa estrutura de segurança vai embora e, os moradores ficam novamente reféns da bandidagem crescente.

Para alguns moradores, o problema está na falta de ações públicas por parte dos órgãos que cuidam da segurança no município. Segundo a moradora do bairro João Paulo II, dona Clemilde Oliveira Silva, 55 anos, a bandidagem vem aumentando no bairro por causa das inúmeras bocas de fumo existente no local. " Eu não sei o que é que a acontece, pois a Polícia prende o bandido, mas daqui a pouco já está solto aterrorizando as famílias de novo", ressaltou D.Clemilde.

Situação triste é a do senhor Hamilton Pinto Dias, 51 anos, morador do bairro Bom Jesus, que de outubro do ano passado para janeiro deste ano já foi assaltado quatro vezes, duas vezes somente no mês de janeiro. " É preciso que as autoridades façam alguma coisa. Os bandidos não respeitam mais ninguém. Num assalto eles me colocaram uma faca na cabeça e me roubaram o meu celular. Noutra vez, foi a minha bicicleta que ainda estou pagando na loja", diz entristecido.
.-.-.-.-.
RESPOSTA DO COMANDANTE DE POLICIAMENTO DA REGIÃO
Quero dizer que assumi o Comando de Policiamento Regional recentemente e passei a tomar conhecimento dos problemas que afligem os moradores de Salinópolis.

Após o Carnaval, quando tivemos o maior aparato policial de todos os tempos, com helicóptero, Rotam, quadriciclos, Policiamento Ambiental dentre outros, o que vai ter para o cidadão, passado o período da folia?
Já estamos providenciando  para Salinópolis um novo processo de policiamento: à cavalo.
O policiamento montado tem um efeito psicológico muito grande e será desenvolvido à noite, por conta da identificação das ocorrências de assaltos a pessoas e arrombamentos às residências, que se dão pelo períod da noite. O óliciamento montado será à noite.
Nossos policiais serão treinados a proceder o policiamento, baseado na filosofia de POLÍCIA COMUNITÁRIA, onde a PM irá ouvir os cidadãos, através de reuniões nos bairros ou através dos telefones 181, 190 e o número do POLICIAL INTERATIVO (um telefone móvel que fica na viatura da PM).
Ao tempo em que farão o policiamento, os policiais cavalarianos também abordarão os cidadãos nos bairros, nas ruas, nos comércios e nas casas e vão perguntar "onde é o problema na sua rua?"
Essas serão as nossas VISITAS COMUNITÁRIAS para a qual pedimos o apoio da população, pois são situações informadas, que normalmente o cidadão não vai à delegacia dizer isso para o Estado.
Para desenvolver esse trabalho, vamos desenvolver trabalhos de MOBILIZAÇÃO COMUNITÁRIA, onde a comunidade vai ser orientada como denunciar sem se prejudicar.
 
Quanto aos casos de drogas, solicitamos que a população denuncie para o 181 (Disque-Denúncia).
As denúncias para o 181, o cidadão não precisa se identificar. Ele descreve onde é a boca de fumo ou o ponto de drogas e ganha uma senha para acompanhar se a polícia tomou providências para prender os traficantes.
O 181 tem proporcionado à Polícia Civil e à Polícia Militar a possibilidade de prender considerável número de traficantes na Grande Belém. E agora podemos fazer isso em Salinópolis.
Caso o cidadão ainda não tenha a segurança da preservação de sua identidade, pode fazer a denúncia de um telefone público. Mas, não deixe de fazer.

Na base da prevenção, este ano estamos implementando o Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violênca), que será desenvolvido em parceria com a Prefeitura Municipal de Salinópolis, através da sua Secretaria Municipal de Educação e com apoio do Programa ProPaz, do Governo do Pará.
Com o Proerd, as crianças e adolescentes (da 4a. Série e da 6a. Série) terão 10 lições, ministradas por policiais militares que alertarão sobre os riscos do consumo de drogas, orientarão como dizer não ao assédio de traficantes e também como denunciar isso aos pais, ao professor de sua  confiança e ao policial que eles  conhecem. Essa é uma metodologia americana que foi adotada em diversos países do mundo que já treinou mais de 60 milhões de crianças e adolescentes em todo o planeta.
 
Também desenvolveremos a REDE COMUNITÁRIA DE SEGURANÇA com diversos segmentos de atividades em Salinópolis.
A primeira rede será constituída para fazer frente ao problema dos arrombamentos.
Em parceria com a ASSOCIAÇÃO DOS CASEIROS DE SALINÓPOLIS vamos treinar as pessoas que desenvolvem essa atividade e dizer para elas como ligar, para onde ligar e como denunciar a presença de elementos que estejam em fundada suspeita, rondando na comunidade, presumivelmente com intuito de entrar nas casas alheias.
Depois, vamos mobilizar comerciantes, frentistas de postos de combustíveis, bancários, trabalhadores de hotéis, bares e restaurantes.
Certamente, assim, desenvolveremos um trabalho muito mais PREVENTIVO.

Solicitamos, pois, o apoio da população para esse novo trabalho em Salinópolis, que tem o major Paulo Sérgio como comandante da Companhia Independente de Polícia Militar.
Gostaríamos de disponibilzar nossos contatos na internet, que já faz parte desse novo processo de relacionamento com a população, a fim de que possamos dar acesibilidade ao cidadão para conversar com a sua polícia.

Facebook: Polícia Militar CPRsete
Twitter: @cpr_7

Muito obrigado.
Cel PM Costa Júnior - Comandante de Policiamento da Região do Caeté/Salgado
celcostajr@pm.pa.gov.br