Zenaldo Coutinho começa a traçar o futuro do centro histórico de Belém

    Zenaldo Coutinho começa a traçar o futuro do centro histórico de Belém
  • Zenaldo Coutinho começa a traçar o futuro do centro histórico de Belém





















Belém foi uma das 44 cidades brasileiras inseridas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) destinados às cidades históricas. Desde então a Prefeitura Municipal de Belém está se dedicando para apresentar os projetos até o próximo dia 19. O anúncio da inserção de Belém no programa foi realizado durante o Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas, no Distrito Federal, dia 30 de janeiro.
Por este motivo, nesta quarta-feira (8), aconteceu a primeira reunião do prefeito Zenaldo Coutinho com a superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Dorotea Lima. O encontro também contou com a presença dos titulares de órgãos municipais.
O PAC das Cidades Históricas é um programa lançado pelo Governo Federal que destinará R$1 bilhão para um total de 44 cidades selecionadas no projeto das cidades históricas. O objetivo é fazer a recuperação das áreas urbanas tombadas, com a proposta de fomentar o desenvolvimento social. Nesta primeira fase do programa é prevista a realização de um projeto determinando as construções históricas que deverão passar pela intervenção. Apenas depois desta etapa, será feito o orçamento e o cronograma de liberação das verbas.
Cabe às prefeituras a coordenação do projeto em cada município. Em nível nacional é o Iphan o órgão que está responsável pelo programa. Para Dorotea Lima, superintendente do Instituto no Pará, a inclusão de Belém nesse programa é uma grande oportunidade. Para ela “o centro histórico do município, de um modo geral, está numa situação bem crítica e precisando de investimentos”.
Assim como outros órgãos municipais, a Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) desempenhará um papel importante, definindo os projetos e os imóveis que serão trabalhados, além de tratar da execução das obras. Para o titular da Seurb, Eduardo Leão, esta será a chance para que Belém revitalize suas áreas históricas. “Com o recurso teremos condições de melhorar os prédios públicos, dando pra eles as condições pra que as pessoas possam reviver a época dos prédios”, afirmou Eduardo Leão.
Durante a reunião o prefeito Zenaldo Coutinho fez algumas sugestões de prédios que poderiam ser incluídos nos projetos. O palácio Antônio Lemos, o palacete Bolonha e o bondinho foram alguns dos nomes citados. Além dele, a superintendente da Fumbel, Heliana Jatene, entregou uma relação das obras prioritárias de restauro.
A segunda reunião para ajustar as propostas será realizada na próxima quinta-feira (14), às 16h, no prédio do Iphan. A comissão formada pelos titulares das Secretarias Municipais de Urbanismo (Seurb), Economia (Secon), Meio Ambiente (Semma), da Fumbel, Codem e Belemtur já confirmou presença.

Texto: Dandara de Almeida
Edição: Comus
Fotos: Tássia Barros