A SURPRESA DO GENERAL.

HILÁRIAS PASSAGENS DA CASERNA V.


Quando iniciei minha carreira militar em 1970, cursei o núcleo de preparação de oficiais da reserva do exército, o nosso NPOR.
Deste período relembrarei uma das Hilárias Passagens da Caserna, a de numero V.
Existia naquela época um segundo sargento da ativa do exército, que alem de ser admirador ferrenho da bebida alcoólica destilada, fermentada ou inventada era possuidor de um senso de humor a toda prova, e, como tal sempre aprontava alguma condição hilária para que todos rissem.
Certa ocasião encontrava-se este sargento como comandante da guarda do 2º BIS, localizado na Avenida Almirante Barroso, local onde também se localizava o nosso NPOR.
Neste mesmo período a região, que na época ainda possui seu comando situado em nossa capital possuía um general comandante linha dura, assemelhado ao famoso alcunhado de Peixe-Agulha.
Este general possuía o costume de, na calada da noite surpreender sentinelas e guardas desatentos; diziam que chegava ate mesmo a rastejar para flagrar a sentinela dormindo.
Quando em seu intento conseguia o êxito do flagra, no mínimo o transgressor pegava 30 dias de cadeia. Pois bem, este militar seguidor de Caxias.
Forma o quadro do painel do caso; continuo dizendo que, a casualidade do serviço do sargento e o rotineiro costume do general se cruzam, pois, neste exato dia, o general resolveu fazer uma das suas famosas visitas madrugadoras a guarda do 2º BIS pegando a  mesma de surpresa que, não conseguiu entrar em forma para a entrada do general.
Depois de muito esbravejar na cabeça de todos,em especial na do sargento sobre os deveres,e,obrigações da guarda,e,dos seus direitos como general;grita em ordem esbravejante ao sargento ‘’Sargento...coloque esta merda em forma e me apresente’’.O sarcástico sargento,não se fez de rogado,e,comandando a tropa proferiu a ordem ‘’Merda sentido,merda descansar,merda sentido...pronto general..sargento fulano apresentando a merda em forma pronta em sua homenagem’’.
O velho general pigarreou,enquanto todos imaginavam já a prisão iminente do Sargento. Depois do susto, e, dos costumeiros conselhos (no jargão militar se chama mijada) ao sargento, se viu obrigado a reconhecer mesmo intimamente haver colaborado com o perspicaz sargento, e, deu meia volta partindo da unidade, mas, para quem observou melhor o velho militar pode perceber um sorriso entre dentes em sua boca. Escapou um descuidado sargento, em razão de haver levado um sorriso ao coração de um ranzinza general, mesmo que inobservadamente.
Depois, conto outra, desta feita referente ao aluno trovador Camilo Delduque. Agora quem souber que conte outro caso.

WALMARI PRATA CARVALHO