Policiais e bombeiros sem representatividade estão fadados a falência

Os servidores públicos militares estaduais, em sua maioria, são desprovidos de representatividade política na maioria dos estados e fadados a falência.
Para entendermos melhor um pouco sobre representação política:
“A etimologia da representação é encontrada no latim, representatio, representationis, que, segundo Laudelino Freire, significa a "ação ou efeito de representar", "ser mandatário ou procurador", "fazer vezes de", "suprir falta de", "apresentar-se no lugar de". 
Assim o termo representação, no âmbito contratual, associa-se à figura da substituição na manifestação de vontade.
Segundo Mamuel Gonçalves Ferreira Filho a representação é definida como um vínculo entre os representantes e representados pelo qual os representantes agem em nome dos representados e devem trabalhar pelo bem dos comum e não pelo próprio.
A ideia clássica de representação política é incita à de participação popular no governo, por intermédio de representantes eleitos, por meio do sufrágio universal. Representação, assim, está atrelada à ideia de democracia, de governo do povo.
Consoante José Antônio Giusti Tavares indica in "Sistemas Eleitorais nas Democracias Contemporâneas", "a representação política é uma relação entre o conjunto dos cidadãos que integram uma comunidade política nacional e os seus representantes, na qual os primeiros, enquanto comitentes e constituintes, autorizam os últimos a tomarem as decisões que obrigam em comum e universalmente a todos, nelas consentindo por antecipação e assumindo, cada um, todas as consequências normativas derivadas das decisões do corpo de representantes como se as tivesse efetiva e pessoalmente adotado, e na qual, por outro lado, cada um dos representantes se obriga a tornar efetivos, no corpo legislativo, ao mesmo tempo os valores fundamentais e comuns da ordem política e as concepções particulares acerca do interesse e do bem públicos daquele conjunto especial de constituintes que, com sua confiança, concorreram para a consecução de seu mandato.
O conceito de representação, no sentido de algumas pessoas representando as outras, é uma idéia moderna. Quando se descreve os processos de democratização ocorridos ao longo do século XIX, basicamente está se tratando da ampliação do direito do povo de eleger os representantes e membros dos órgãos do Estado a representação política é o modo de o povo, titular do poder, agir ou reagir relativamente aos governantes e o voto, ato normalmente associado com a atual democracia é, não para decidir, mas sim para eleger quem deverá decidir.”
Ocorre que muitas associações foram criadas para representarem os policiais e bombeiros do Brasil e não estão cumprindo seu papel de efetivamente representar estes profissionais que ficam a “deriva” quando estão sendo tomadas decisões no âmbito político, como salários por exemplo, é o caso do estado de São Paulo onde uma grande onda de descontentamento salarial assola os policiais e bombeiros e o governo por sua vez tomou meditas para reajustar o soldo, projeto de lei 08/2013, que esta provocando descontentamento aos policiais e bombeiros de São Paulo e as associações representativas que deveriam mobilizar seus associados para uma efetiva participação presencial ordeira e democrática junto à ALESP se fecham e se reprimem, quando muito, sua participação se da de forma singela por parte de suas diretorias em reuniões com os órgãos governamentais.
Ocorre que em uma democracia a presença a união se tornam indispensáveis por parte das categorias que pleiteiam algo junto a seus governos, é necessário a participação efetiva de todos buscando o bem comum, em uma votação de determinado assunto em uma Assembléia Legislativa o resultado com o plenário vazio certamente será diferente se ele estivesse ocupado, afinal de contas é a casa do povo e ela deve ser ocupada ordeiramente e respeitando as leis e regulamento, fica então a pergunta:
    Por que as Associações representativas não cumprem seu papel de esclarecer, orientar e mobilizar seus associados para participarem em plenário das decisões a serem tomadas?
Para os servidores militares estaduais não há impedimento algum em freqüentarem as Assembléias Legislativas em momentos de votações e decisões de seus interesses, é democrático e de direito, o que esta faltando é boa vontade dos que os representam e ainda cobram por isto.
(Policiais e bombeiros do Brasil).