Comandante da PM vê no policiamento comunitário maior qualificação para atuar junto à sociedade

KOBAN – PM promove seminário de policiamento comunitário

“Vejo este encontro como uma possibilidade de troca de experiências e de  mais qualificação da nossa tropa para atuar perante à sociedade.” 

Assim o comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Márcio Martins Sant'Ana fez a abertura do IV Seminário Internacional de Policiamento Comunitário – Sistema KOBAN, ontem, no auditório do Expominas.

O seminário contou com palestras, apresentações artísticas e debates. Participaram ainda 380 pessoas, sendo: alunos do curso de Pós Graduação de Polícia Comunitária, alunos do Curso de Formação de Oficiais (2º e 3º anos) e alunos do Curso Nacional Multiplicador de Polícia Comunitária (CNMPC), todos promovidos pela Academia de Polícia Militar.
 
PARCERIA COM O JAPÃO
Em 2010, a Polícia Militar de Minas Gerais  atravessou o oceano atlântico para buscar no Japão técnicas e estratégias para trabalhar na prevenção da criminalidade e como aumentar a sensação de segurança em Minas Gerais.

Naquela época, cerca de 500 militares aprenderam sobre a experiência japonesa conhecida como Koban, cujo objetivo é aproximar a Corporação dos moradores. A experiência foi aplicada no estado e serviu de base para aprimorar o policiamento comunitário no território mineiro.

Durante sua abertura, o Cel Sant'Ana enalteceu a parceria da PM com o Japão. Ele lembrou das tradições japonesas e ainda apontou semelhanças entre os países. “Somos nações pacifistas.”, reforçou. O oficial ainda destacou a importância da implantação do sistema Koban na atuação dos militares. “O cidadão é o principal destinatário dos nossos serviços e temos que nos comunicar e aprimorar ainda mais esta polícia de proximidade com a comunidade.”
COPA DO MUNDO
O modelo de policiamento comunitário é uma das grandes apostas da PMMG para a Copa do Mundo de 2014, pois visa a prevenção de ocorrências, em vez da atuação de forma ostensiva. Comprovadamente, o Sistema Koban foi fundamental durante a Copa do Mundo de 2002, cujas sedes foram o Japão e a Coreia  do sul.
Hoje o serviço é coordenado pela Diretoria de Apoio Operacional – DAOp, chefiada pelo Coronel Cláudio e pelo subcomandante, Tenente-Coronel Lucas. O Major Alexandre Magno, também da DAOp, reforça a importância do encontro para os militares pertencentes. “Queremos trazer experiências do modelo japonês para que sejam aplicados em Minas Gerais. Nosso objetivo é que estes policiais sejam capacitados nesta filosofia de policiamento comunitário que será empregado na Copa do Mundo.”, destacou.
EXPERIÊNCIAS
Para que os militares se inteirem sobre os programas de Polícia Comunitária desenvolvidos pela  Secretaria Nacional de Segurança Pública – Senasp, a Polícia Militar convidou Márcio Júlio da Silva Mattos. Os militares também puderam conhecer sobre a atuação do Koban em São Paulo por meio da palestra da Major Ana Rita Amaral.
A oficial que está há um ano a frente da coordenação de polícia comunitária destacou a importância da parceria com os moradores para a redução das estatísticas criminais. “Sozinha, a polícia não consegue os bons resultados. É fundamental a participação da comunidade neste processo. Por isso, hoje, trouxe diversos exemplos do nosso Estado, com dados estatísticos para serem repassados aos policiais mineiros.” destacou a Major que ainda apresentou um histórico da implantação do Koban no Estado.
O Cônsul do Japão Toshiki Yogo, que também falou  para os militares sobre as atuações de sucesso do Koban no Japão, destacou a satisfação em participar do seminário. “Fico muito feliz em estar aqui hoje e poder repassar os policiais as nossas ações, valores e também a nossa cultura.”
AÇÃO DE SUCESSO
Instalada há cerca de um ano, a Base Comunitária Koban da região de Venda Nova, em Belo Horizonte, é um dos exemplos de como o policiamento funciona. O Tenente Sassada que atua em diversas frentes do projeto confirma o sucesso da iniciativa. “Temos melhorias concretas de maior aproximação com a comunidade, que antes era um pouco distante. Buscamos a solução orientada de problemas e fazemos diversas parcerias com outros órgãos.”
Endossado pelo comandante da comandante da 14ª Companhia, Major Wolber, o Tenente lembrou de alguns projetos como a blitz educativa  em parceria com a Regional Venda Nova, CEMIG, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, realizada  para  conscientizar a população sobre como se portar em caso de chuvas e alagamentos. O oficial ainda adiantou um novo projeto “Rua Limpa”, para revitalizar espaços urbanos na região.
Toda a fala dos oficiais foi comprovada pela presidente do Consep 14, AISP9, Joana D'arc. “Nossa relação se aperfeiçoa a cada dia. Se antes tínhamos alguma receio com relação a PMMG, hoje já trabalhamos juntos. A sede do Koban na região é um referencial para nós.”
EXPECTATIVA
Os participantes do seminário ressaltaram a importância de serem capacitados para o novo modelo de policiamento. “Pretendo adquirir novas técnicas, pois já atuo junto aos Consep's de Barbacena e temos uma parceria muito proveitosa. Quero aprimorar os conhecimentos e ser multiplicadora das ações.”, explicou a Tenente Alessandra, lotada no 9º Batalhão.
Para os cadetes que convivem com a doutrina de policiamento comunitário durante todo o curso, o Koban vem para agregar ainda mais valor. “É a primeira vez que tenho contato com o modelo japonês e acredito que vai aperfeiçoar a nossa atuação. A  PM ajuda a comunidade e a comunidade se ajuda”, reforçou o Cadete do 3º ano Carlos Pereira.
Esta opinião também é compartilhada pelo Cadete Amaral que destacou “este policiamento é orientando para a solução de problemas de cada região. Já atuei junto a patrulha rural e hoje estou aprimorando conhecimentos na área com o sistema Koban.” O Seminário é um dos eventos que integram o Festival do Japão em Minas 2013 e será realizado pela PM, em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública, Secretaria de Estado de Defesa Social, Agência de Cooperação Internacional do Japão e a Associação de Cooperação em Ciência e Tecnologia Brasil-Japão.
(Sheila de Ângelis)