Intervenção "Treeeme” coloca arte cênica na calçada do São José Liberto

IGAMA/ Divulgação
Manequins femininos com vestes coloridas chamam a atenção na instalação urbana “Treeme”, uma homenagem do artista Vitor Blanco à cantora paraense Gaby Amarantos e ao Espaço São José Liberto

Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 09/11/2013 às 16:47

A instalação urbana “Treeme”, que homenageia a cantora paraense Gaby Amarantos e um dos prédios históricos da cidade, foi aberta na noite de sexta-feira (8), na calçada do Espaço São José Liberto, no bairro do Jurunas, com programação musical e apresentação teatral. Idealizada pelo arquiteto Vitor Blanco, a intervenção ficará no local 27 de novembro.
A obra atrai a atenção das pessoas. Muitos param para observar e fazer fotos dos 30 manequins femininos vestidos com figurinos coloridos, que lembram roupas de freiras. O destaque é para a boneca de figurino vermelho, similar ao usado por Gaby Amarantos.
A inspiração nasceu de uma declaração da própria cantora, que já desejou ser freira, mas desistiu da ideia ao saber que não poderia usar maquiagem ao se tornar religiosa. A instalação também remete aos primórdios do Espaço São José Liberto, erguido para ser o Convento de São José, em 1749, pelos frades capuchos de Nossa Senhora da Piedade.

Transformação - A abertura contou com performance da atriz Michele Campos, que utilizou maquiagem neon como um dos elementos cênicos da apresentação. A atriz interagiu com a instalação ao som do ritmo que consagrou a cantora Gaby Amarantos, o tecnobrega. Responsável pela concepção da performance, a atriz começou vestida de freira, e ao longo da apresentação foi mostrando roupas, maquiagem e sapatos, que estavam camuflados na obra. O figurino inicial foi se transformando, ao mesmo tempo em que ela fazia a maquiagem.

“Quando o Vitor me convidou, eu achei a proposta o máximo! Pensei em trabalhar em etapas, para que a performance fosse evoluindo, começando pelo negro da roupa das freiras, porque ela (Gaby) queria fazer parte do convento. E conforme eu ia passando pelas cores dos manequins, ia alterando meu figurino, trocando o vestido comprido pela saia com movimento, colocando as cores no rosto, trocando o terço pelo colar, que depois vira uma coroa para a nossa rainha Gaby Amarantos. Na maquiagem usei o rosa, porque ela usa muito essa cor. O verde e o amarelo são a nossa brasilidade, já que a Gaby não deixa de ser também uma Carmem Miranda”, explicou Michele Campos.
A produtora cultural Lilian Pinheiro foi responsável pelo texto da curadoria da intervenção. “O Vitor teve a ideia e eu trabalhei junto com ele, desde o início. Quando você se envolve muito com o projeto fica muito fácil fazer, mostrar, realizar”, ressaltou.
O arquiteto Vitor Blanco disse que há bastante tempo estava querendo fazer uma instalação em Belém. “Estava fazendo vários estudos quando surgiu o convite para participar da Casa Cor Pará, onde uma das homenageadas desta edição é a Gaby Amarantos. Ela falou que queria ser freira e desistiu porque não poderia usar maquiagem. Eu pensei nas freiras coloridas e em unir isso com a história do Polo Joalheiro”, contou ele.
Aprovação - O artista plástico Ruma também participou da abertura da mostra e elogiou a proposta da instalação urbana. “Eu gostei muito do conceito que envolve a obra. O histórico inspirado na Gaby Amarantos foi muito legal, muito bem resolvido. Achei interessante a gradação saindo da freira, a introspecção, toda certinha, com a pigmentação escura, que vem clareando, colorindo, até chegar na Gaby Amarantos, que é a primeira imagem”, declarou Ruma.
A designer Bárbara Müller, que integra o Programa Polo Joalheiro, também aprovou a obra. “Achei bacana a instalação na rua. Ficou bem acessível. É uma brincadeira interessante também porque ‘linka’ com a história do Polo Joalheiro”, declarou Bárbara.
O "Treeeme" conta com o apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Indústria Comércio e Mineração (Seicom); do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), que gerencia o Espaço São José Liberto, e do Instituto de Artes do Pará (IAP), além do Armazém 25; Doceria Pimenta de Cheiro; Rezende's Iluminação; Jardim Secreto/Objetos de Charme; Hugo Mercês/Escritório de Advocacia; Global Prime Solutions; Hotel Regente; Bena's Confecções; ICase Star; A'Chiquê Boutique; Calu Espaço Feminino; Pinheiro e Penafort/Advogados Associados; Panificadora Trem da Terra; Rockfeller Barbearia; Brasfrut/Polpa de Fruta; Copycenter; Bruno Machado/Personal Trainer e Belmódulo.
Serviço: Instalação urbana "Treeeme"  - na calçada frontal do Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas), até 27 de novembro.

Texto:
Luciane Barros - São José Liberto