Aumenta probabilidade de 2º turno presidencial, analisa Datafolha


Reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta quarta-feira (1º), assinada pelos diretores do Instituto DataFolha Mauro Paulino e Alessandro Janoni, mostrou que as oscilações dentro da margem de erro na nova pesquisa, divulgada nesta terça (30), em intervalo de poucos dias podem causar a falsa ideia de estabilidade no quadro sucessório para presidente da República.

Entretanto, para os a manutenção das tendências das curvas da candidata à presidência da República pelo PSB, Marina Silva, e o presidenciável tucano, Aécio Neves (PSDB), do patamar alcançado pela presidente Dilma Rousseff (PT) reforçam duas percepções – aumenta a probabilidade da ocorrência de segundo turno e projeta-se uma possível disputa acirrada entre os candidatos da oposição por uma vaga na final contra a postulante petista, que disputa a reeleição.

Conforme publicação, o crescimento do apoio à reeleição de Dilma na consulta anterior insinuava a possibilidade de uma eventual vitória no primeiro turno. Com os resultados de hoje, essa chance diminui.

"O maior peso do refluxo atual de eleitores para Aécio pode configurar uma reação de regiões mais ricas, Sul e Sudeste, à recente ascensão de Dilma. A desconstrução de Marina enfraqueceu o discurso da "nova política" e em alguns estados de tradição antipetista, foi o suficiente para parte do eleitorado resgatar o PSDB como adversário. Exemplo disso é São Paulo onde, nos últimos dias, Aécio cresceu quatro pontos percentuais. Em pouco menos de um mês, o aumento do apoio ao tucano entre os paulistas totaliza dez pontos enquanto a intenção de voto em Marina caiu nove", escreveu a reportagem.

Pelos cálculos de variabilidade do Datafolha, Dilma deve chegar para o confronto com taxa de intenção de voto entre 36% e 43%, Marina entre 22% e 28% e Aécio entre 18% e 23%.

Fonte: Bocão News