Batalhão da Polícia Militar do Rio é chamado de ‘centro de assassinos’ em aplicativo de trânsito

Quem usa o aplicativo Waze, ferramenta colaborativa com informações sobre trânsito, para trafegar por ruas de Mesquita, na Baixada Fluminense, pode se deparar com uma surpresa. No endereço onde fica o batalhão de Polícia Militar responsável pela região, na Rua Tenente Aldir Soares Adriano, o local é descrito como “centro de assassinos”. Ao abrir o detalhamento das informações sobre o 20º BPM (Mesquita), mais uma polêmica: “O 20º batalhão da PM é um antro de ladrões e assassinos mortos de fome. Cuidado”, avisa o texto.
As imagens que revelaram as ofensas foram postadas no perfil em uma rede social de uma policial militar do Rio no início da tarde desta terça-feira, ganhando repercussão rapidamente. O EXTRA acessou o aplicativo às 13h13m e comprovou que as reproduções compartilhadas na web eram verdadeiras e continuavam visíveis para qualquer usuário da ferramenta. Vários internautas manifestaram-se contra o que chamaram de “desrespeito”.
“Aqui em casa vai virar processo. Meu esposo é soldado do 20º e não é assassino”, afirmou uma mulher na postagem, enquanto perguntava sobre a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) e planejava fazer um registro de ocorrência sobre o caso.

Procurada, a Polícia Militar não havia se manifestado até as 17h desta terça-feira. Já o Waze pediu desculpas pelo ocorrido. “A informação será removida imediatamente do aplicativo e estamos investigando como ela apareceu. Estimulamos sempre nossos usuários a nos avisar de erros nos mapas e pedimos desculpas em relação ao ocorrido”, afirmou a nota enviada pela empresa responsável pelo app.

O Waze
Considerado um dos maiores aplicativos de trânsito e navegação do mundo, o Waze foi criado por um engenheiro israelense em 2008 e acabou comprado pela Google em junho do ano passado, por um valor equivalente a mais de R$ 3 bilhões. A partir de informações fornecidas pelos usuários, a ferramenta calcula as melhores rotas e trajetos, levando em consideração fatores como congestionamento, blitzes e acidentes. O app está disponível para smartphones e tablets e pode ser baixado gratuitamente na Apple Store, na Google Play e na Windows Phone Store.