Governo investe mais de R$ 13 mi na formação de policiais

Governo investe mais de R$ 13 mi na formação de policiais
 A formação de 1.044 novos policiais, retomada de concursos internos e a capacitação de profissionais resultou em um investimento de mais de R$ 13 milhões na Polícia Militar da Paraíba nos últimos 3 anos.
Os números são da diretoria de finanças da corporação, que apresentou também um aumento de investimentos na formação cidadã de crianças e adolescentes com o Programa Estadual de Resistência às Drogas e Violência (Proerd), passando de 16.294 crianças beneficiadas no triênio 2008/2010 para mais de 42 mil entre 2011 e 2013.


Os investimentos em professores e instrutores qualificados foram responsáveis por mais da metade desse orçamento, com profissionais tanto da área militar quanto do magistério civil. Eles atuam nos cursos de formação que são promovidos pelo Centro de Educação da PM e também nos cursos de capacitação que são constantemente desenvolvidos para atualizar os policiais acerca de procedimentos mais modernos da atividade policial e atendimento ao cidadão.


No caso da formação de policiais militares – 1.044 soldados, 240 sargentos e mais de 100 oficiais entre 2011 e 2013 – os alunos recebem uniformes novos para as instruções e há um investimento maior com o custeio e munições para os treinos.


O soldado Douglas Ferreira, formado em 2012, destacou que as instruções recebidas lhe duram melhores condições para atuar frente ao crime. “Quando entrei no curso de formação eu esperava encontrar diversas dificuldades que amigos já policiais de turmas passadas me relatavam, como a questão do soldado sair para as ruas tendo atirado só cinco vezes de revólver durante todo período de formação. No nosso caso, das turmas de 2011 para cá, houve uma mudança brusca em relação a isso e hoje saímos habilitados com mais de 200 disparos, inclusive de submetralhadoras”, citou.


A parte da formação em Polícia Comunitária também cresceu. Nesta capacitação os policiais, agentes de outras instituições e pessoas da comunidade recebem aulas sobre como trabalhar a parceria polícia/comunidade para a prevenção de crimes e resolver problemas comuns antes que se tornem casos de polícia, como a cobrança por melhorias na iluminação pública, coleta de lixo e outros serviços públicos. As prefeituras vêm se tornando parceiras nesta forma de trabalhar.


Ao todo, 1.917 policiais foram formados de 2011 até 2013 com o curso de Polícia Comunitária, através de parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). De 1998 até 2010 só foram formados 778 profissionais com essa especialidade, segundo os dados da própria Senasp.


O comandante geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, lembrou que nos últimos três anos é constante o envio também de policiais para fazerem cursos nas polícias militares de outros Estados. “Tanto para adquirir mais experiência profissional quanto para promover um intercâmbio com as outras instituições. Já foram quase 100 policiais enviados a esses cursos, com custeio pago pelo Estado, para se formarem em operações especiais, direitos humanos, patrulhamento, novas técnicas e táticas policiais e em trabalhos sociais que nossa instituição oferece, como a cinoterapia por exemplo”, explicou.


O coronel destacou ainda que a formação do policial é um processo que requer atenção especial e um grau de investimentos elevado. “São cidadãos que saem às ruas para cuidar da segurança das pessoas e isso é tratado como prioridade pelo Governo, que vem aumentando os investimentos a cada ano, ultrapassando a ordem de R$ 13 milhões de 2011 a 2013, justamente para oferecer um policial cada vez mais qualificado à sociedade”, completou.


Secom-PB