Já estão presos os autores da morte de policial militar em Uruará


Polícia Civil
Júnior Almeida dos Santos ("Mutante") e Dorivan Jesus Pereira são acusados pela morte de policial do Batalhão Ambiental
Policiais civis e militares prenderam nesta sexta-feira (7) os autores do homicídio de um policial militar no município de Uruará, na Região do Xingu. A captura dos acusados foi feita por policiais militares da Rotam (Ronda Tática Metropolitana) e da Polícia Civil, sob o comando do delegado Godofredo Borges. Os presos são Júnior Almeida dos Santos, de apelido "Mutante", e Dorivan Jesus Pereira, localizados em menos de sete horas após o crime, que ocorreu por volta de 2h30.
O cabo da PM Clodoaldo Souza de Oliveira, 43 anos, abordou um suspeito, que estava armado, em uma casa de festas na cidade. No momento da averiguação, o suspeito sacou a arma e disparou contra o Clodoaldo, que morreu no local.
O crime aconteceu na Avenida Ângelo Debiase, no centro da sede municipal de Uruará. Um único disparo acertou o braço esquerdo e atingiu o coração da vítima. Clodoaldo atuava no BPA (Batalhão de Polícia Ambiental) e tinha 21 anos de atuação na Polícia Militar. Ele estava em Uruará apoiando os agentes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na operação "Onda Verde". O corpo do policial foi levado pela equipe do Centro de Perícias Científicas para Altamira, de onde seguiu para Belém.
Segundo as investigações, "Mutante" teria feito o disparo. Tanto ele quanto Dorivan haviam sido presos pela Polícia Militar recentemente, mas estavam em liberdade condicional. O capitão Márcio Abud, que comanda a 13ª Companhia de Polícia Militar de Uruará, informou que 25 homens da Polícia Militar fizeram buscas pelos acusados, e duas barreiras de fiscalização foram montadas nas estradas entre as cidades de Uruará e Placas, e outra entre Uruará e Medicilândia. Os presos já estão na Delegacia de Uruará, à disposição da Justiça.
Sem barulho - Nesta semana, foram destruídas em frente à Delegacia de Uruará, na Avenida Central, dezenas de descargas de motocicletas, apreendidas durante a operação “Kadron, não durma com esse barulho", realizada pela Polícia Civil no município.
As apreensões aconteceram em 2012. O delegado Godofredo Borges enfatizou que a operação terá continuidade. Ele destacou o alto número de descargas barulhentas na cidade, e garantiu que a polícia não vai tolerar abusos, atuando sempre com base na Lei de Crimes Ambientais. Uma pá carregadeira foi usada para esmagar as descargas.


Texto:
Walrimar Santos - Polícia Civil