Governo lança projeto de policiamento comunitário semelhante à UPP

BRUNA FANTTI RIO DE JANEIRO, RJ.

A Polícia Militar inaugurou nesta terça-feira (24) a primeira Companhia Integrada de Polícia de Proximidade, no Grajaú, zona norte do Rio.
Os 120 policiais da unidade vão distribuir cartões de visita, com telefone e e-mail, aos moradores e comerciantes da região.
O projeto é semelhante ao policiamento comunitário em UPPs (Unidades de Polícia Pacificadoras) instalado em 38 comunidades do Estado e, por isso, já foi apelidado de "UPP do asfalto" por moradores da região. "A ideia é aumentar a presença e a agilidade dos policiais. Com a proximidade a resposta é mais rápida. O reconhecimento dos problemas locais tornará possível o comando trabalhar voltado para as especificidades que surgirem", afirmou à reportagem o comandante-geral da corporação, coronel Alberto Pinheiro Neto.
A ideia das companhias surgiu em 2009, no decreto que anunciava as chamadas Risps (Regiões Integradas de Segurança Pública), coordenadas pela subsecretaria de Planejamento e Integração Operacional da Secretaria de Segurança Pública. As Risps são grandes áreas de integração, no plano estratégico, entre as polícias civil e militar. "As Risps determinam mais eficiência no monitoramento das metas planejadas. Isso é importante em um nível maior e também determinante em um nível localizado, como nas UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), e agora nas companhias de proximidade", afirmou o subsecretário da pasta, Antonio Roberto Sá.
Caso o projeto piloto no Grajaú seja eficiente, a Polícia Militar pretende inaugurar outras 41 Companhias de Proximidade no Estado. As próximas a serem instaladas irão atender ao bairros da Tijuca, na zona norte, e duas em Niterói, na região metropolitana.

https://www.bemparana.com.br/noticia/373910/governo-lanca-projeto-de-policiamento-comunitario-no-grajau